F1: calendário de 2018 condicionado pelo Mundial de futebol

Nico Rosberg
Nico Rosberg

O homem forte da Fórmula 1, Chase Carey, revelou que a escolha de fazer três corridas em fins de semana consecutivos no calendário para a próxima época se deveu à realização também em 2018 do Mundial de futebol.

O calendário do Mundial F1 de 2018 revelado na segunda-feira pela FIA revelou a opção por fazer os grandes prémios de França, Áustria e Grã-Bretanha nos respetivos fins de semana de 24 de junho e 1 e 8 de julho.

No fim de semana de 15 de julho realiza-se a final do Campeonato do Mundo de futebol Rússia 2018 e a F1, então, faz uma pausa (voltando a 22 de julho na Alemanha).

«Temos um bocado uma situação única com três semanas de seguida. [Isto] é de alguma forma ditado pelo Campeonato do Mundo de futebol à tarde, pois seria duro para um promotor [de um GP] competir diretamente com uma final de um Mundial de futebol», admitiu Carey.

O presidente do Formula One Group frisou que o peso de três fins de semana seguidos de grande prémio foi «elaborado com as equipas» tendo sido considerado que é realizável porque todas as corridas em causa «são na Europa».

O calendário anunciado é de 21 corridas em 2018, mas os grandes prémios da China e de Singapura continuam sujeitos a confirmação, mas Carey, na citação do «GPUpdate» não vê motivos para preocupações: «Os contratos finalizam neste ano e, por isso, estamos a negociar novos acordos. Estes não estão completados, mas estamos a ter boas negociações.»

O líder da F1 lembra que a prova de Singapura em 2017 nem sequer ainda se realizou deixando a entender que não se trata mais do que renovar os contratos que findam neste ano: «Se não esperássemos que fossem 21 [corridas] não tínhamos feito [o calendário] .»

Comentários

Veja mais