Miguel Oliveira sai de 14.º para obter o 2.º lugar em Jerez

  • Redação Autoportal
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira. GP de Espanha

Que grande corrida fez Miguel Oliveira no GP de Espanha, o piloto português da KTM Ajo, não poderia desejar uma melhor corrida depois de uma qualificação onde pareceu completamente perdido e num fim de semana em que garantiu a subida ao MotoGP na próxima temporada.

Na largada Álex Márquez assumiu o comando, mas Miguel Oliveira destacava-se de imediato ao recuperar numa volta sete posições. Isto numa altura em que Luca Marini cometia um erro e sofria uma queda levando consigo pelo quente asfalto Jorge Navarro.

Na frente da corrida, Márquez era pressionado por Lorenzo Baldassari e Brad Binder, companheiro de equipa de Miguel Oliveira.

O piloto português estava determinado em entrar na luta pelos lugares do pódio e não foi preciso esperar muito para ver Miguel Oliveira bater recorde da pista em corrida ao rodar em 1m42,534s

Após três voltas já Oliveira estava encostado na roda de Francesco Bagnaia, acabando por ultrapassar o pupilo de Valentino Rossi e desta forma subir ao quarto lugar.

O piloto português da KTM Ajo estava mais rápido e não tardou que colasse aos dois da frente depois de se despachar de Binder. Isto numa altura em que Baldassari assumia o comando da corrida relegando Álex Márquez para segundo.

Baldassari, Márquez e Oliveira rapidamente começaram a ganhar alguma vantagem face ao quarto classificado que era então Bagnaia

Na luta pelos lugares do pódio Baldassari mantinha o comando e Oliveira ultrapassava Márquez que pouco depois sofria uma queda. Desta forma o vencedor da corrida de 2017 em Jerez ficava de fora da discussão pela vitória e mais do que isso atrasava-se nas contas do campeonato.

Até final, Baldassari conseguiu aumentar a diferença que o separava de Miguel Oliveira para terminar a 2,851s do piloto português e assim garantir a sua segunda vitória em Moto2.

Assim ficou a classificação do GP de Espanha de Moto2:

 “A qualificação foi difícil para mim não encontrei as linhas correctas e estava um pouco stressado e fiquei desapontado com o fato de ter de sair da quinta linha da grelha. Já a corrida correu bem vi que o grupo da frente não se afastou muito nas primeiras voltas e senti que tinha a oportunidade de chegar à frente. No final acabei por perceber que o Baldassari estava mais forte e segurei o segundo lugar que que acaba por saber melhor que uma vitória”, afirmou Miguel Oliveira no final da corrida de Jerez.

Com este resultado, Miguel Oliveira ascendeu ao terceiro lugar do campeonato com 63 pontos, menos um que Baldassari que é segundo e menos 10 que Francesco Bagnaia que é o líder.

A próxima ronda do Mundial de Moto2 é o GP de França que terá lugar em Le Mans a 20 de maio.

O filme da corrida

 

Comentários

Veja mais