Moto2: Héctor Barberá condenado a trabalho comunitário

  • Redação Autoportal
Héctor Barberá
Héctor Barberá

A vida não está fácil para Héctor Barberá que depois de ter perdido o lugar no Mundial de MotoGP no final de 2017, regressou este ano ao Moto2 com a equipa da Pons onde conseguiu como melhor resultado até ao momento um 15.º lugar.

Para complicar a vida ao espanhol, agora foi condenado a 22 dias de trabalho comunitário e ficou sem carta de condução por um período de um ano.

Tudo porque Héctor Barberá foi apanhado a conduzir  a alta velocidade na cidade espanhola de Valência com uma taxa de álcool superior ao permitido por lei.

Esta foi a terceira vez que Barberá foi apanhado nas teias da lei depois de em 2012 ter acusado positivo num controlo de álcool, e de em 2014 ter sido apanhado a conduzir sem carta.

Comentários

Veja mais