Valentino Rossi: “O MotoGP era mais romântico há 15 anos”

  • Redação Autoportal
Valentino Rossi (Lusa)
Valentino Rossi (Lusa)

O Campeonato do Mundo de MotoGP evoluiu bastante nos últimos anos e as alterações técnicas introduzidas como uma elétronica comum, ou mesmo um único fornecedor de pneus, deixaram os pilotos mais próximos na tabela de tempos, nomeadamente nos treinos livres e na qualificação.

Esta é a tese defendida por Valentino Rossi, um dos dois pilotos da atual grelha do MotoGP, que fizeram a transição das antigas 500cc para as atuais motos do campeonato. O outro piloto é Dani Pedrosa que no final da época vai abandonar a competição.

“Eu acho que uma das maiores diferenças em comparação com aquilo que era o campeonato em 2003 é que agora estamos sempre muito perto uns dos outros durante os treinos livres. O nível de profissionalismo aumentou bastante. Agora, a equipa, e especialmente os pilotos, trabalham todos os pequenos detalhes que podem fazer toda a diferença em corrida. Há 15 anos tudo era mais romântico. Pegávamos na moto e tínhamos de perceber as suas sensações. Agora não é assim, temos de trabalhar mais. Talvez seja um pouco chato e acho que essa é uma das maiores diferenças, mas é bom para o campeonato ", afirmou Valentino Rossi em entrevista ao «Crash.net».

O piloto italiano revelou ainda que está surpreendido com o número de fãs que o acompanham em todas as provas para o apoiar de uma forma incondicional.  "Tenho muita sorte na minha carreira, pois tenho um grande apoio, tanto em Itália como fora, e isso deve-se aos resultados da minha carreira, e também porque eu tenho mais de 20 anos. Acho que os fãs tem crescido comigo e isso é um sentimento muito positivo”.

Valentino Rossi é atualmente o segundo classificado do Campeonato do Mundo de MotoGP, a 46 pontos de Marc Márquez, e não conquista uma vitória com a Yamaha há mais de um ano, mas continua a ser recordista de vitórias, tendo subido ao degrau mais alto do pódio por 89 vezes.

Comentários

Veja mais