Fórmula 1: Fernando Alonso aprova união McLaren-Renault

Fernando Alonso
Fernando Alonso

Depois de um compromisso de três anos, a McLaren despede-se este fim-de-semana (GP de Abu Dhabi) da Honda para dar lugar à Renault. Uma mudança que Fernando Alonso recebe de braços abertos.

“Acho que é um bom momento para mudar”, afirmou o espanhol em conferência de imprensa. “Tinha muitas expetativas para o projeto McLaren-Honda. Foi, provavelmente, a razão que me levou a sair da Ferrari, pois a McLaren-Honda era uma parceria muito atraente depois do sucesso que teve no passado”, justificou.

 “Não atingimos os resultados que queríamos e nos últimos anos não tivemos o desempenho que esperávamos e por isso, acho que agora é hora de uma mudança na McLaren e unir forças com a Renault”, defendeu o espanhol que encara com otimismo a temporada 2018.

“Olhando para a Red Bull, fico otimista. É verdade que ainda lhes falta alguma coisa na equipa, mas lutam por pódios, por vitórias, e esse é um cenário muito diferente daquele que temos neste momento na McLaren", assumiu.

A verdade é que a Renault tem um lugar reservado no coração de Alonso que se sagrou bicampeão F1 com a construtora francesa.  

“Sinto-me em casa. Volto para aqueles que considero meus amigos, a minha segunda família, vai ser ótimo”, apontou. “Eles são muito, muito bons”, sublinhou.

(Mais) Um passo rumo ao futuro

Alonso não pára de surpreender. Além dos planos na LMP1 com vista às 24H de Le Mans, a participação nas 24H de Daytona, entre outros, o espanhol mostrou ter mais uma carta na manga ao anunciar esta quinta-feira uma equipa eSports em parceria com a Logitech, patrocinadora da McLaren F1.

A equipa chama-se FA Racing G2 Logitech G, e competirá na F1 virtual, mas também noutras categorias online.

"Finalmente, sou diretor de uma equipa (risos)", anunciou o piloto Fórmula 1, no paddock do circuito de Yas Marina em Abu Dhabi. "Não haverá reuniões muito cedo. Vamos mudar completamente a maneira como trabalhamos! ", frisou.

Alonso foi abordado pela Logitech e a G2 há alguns meses e aceitou o desafio numa altura em que os eSports estão a começar a despontar.

"É muito emocionante, e é uma coisa completamente nova que vou descobrir", explicou. "Acho que os eSports noutros formatos têm sido muito bem sucedidos, mas em corridas, ainda estão no início. Há um grande potencial”, acredita.

"Estou feliz por ser um dos primeiros a investir nesta direção e acho que estão para vir tempos bons e divertidos- não só para nós, mas para os jogadores e adeptos”, garantiu o piloto F1.

 

Comentários

Veja mais