MotoGP: Dorna pensa em classe ao estilo Fórmula E

Circuito da Catalunha em obras para MotoGP 2018
Circuito da Catalunha em obras para MotoGP 2018

Assim como a FIA criou a Fórmula E, a Dorna Sports pode estar a planear uma futura classe de motos elétricas.

O rumor há muito que circula, porém nada é ainda oficial. Ainda assim, os chefes das equipas MotoGP não se coibem de comentar o assunto. Os representantes da Honda, Ducati, Yamaha, Suzuki, KTM e Aprilia reconhecem o papel que a energia elétrica desempenhará no motociclismo, mas duvidam que as motos elétricas substituam as máquinas a gasolina no futuro próximo.

"Não vejo motores elétricos entrarem no MotoGP nos próximos 15 anos", assumiu o diretor da KTM Motorsport, Pit Beirer."O desenvolvimento de motos elétricas irá continuar. Existem projetos fantásticos e veículos fantásticos para usar em áreas completamente diferentes", atirou.

Para Davide Brivio, chefe da equipa Suzuki, o plano da Dorna é natural, contudo partilha a mesma opinião que os restantes líderes.

"Acho que é essa a direção para o qual a indústria se está a mover", sublinhou. "Vemos a indústria automóvel mover-se nessa direção e o motociclismo está de olho nisso. Acho normal que a Dorna esteja a ponderar uma categoria elétrica", defendeu.

Romano Albesiano também está ciente da importância da energia elétrica para as construtoras, mas confessa que a única maneira de esta se aproximar do desempenho atual do MotoGP seria usar a tecnologia híbrida.

"A Aprilia faz parte do Grupo Piaggio que acabou de apresentar a Vespa elétrica. Gastamos muitos recursos neste campo. Mas falando sobre motos desportivas, honestamente não acredito que haja uma categoria elétrica com um nível de desempenho que se aproxime sequer do que existe no MotoGP ", explicou o chefe da equipa Aprilia.

"Talvez a tecnologia híbrida seja mais válida. Seria um passo muito inteligente, mas provavelmente muito, muito caro. Por isso, é difícil. Seria uma experiência interessante, é claro, porque o futuro será elétrico de qualquer forma", garantiu. "Mas uma moto desportiva totalmente elétrica vai ser muito, muito difícil com o nível atual de tecnologia das baterias", concluiu.

Comentários

Veja mais