Ecclestone ao ataque: «A democracia não tem lugar na F1»

Bernie Ecclestone
Bernie Ecclestone

Aos 87 anos, Bernie Ecclestone mantém-se irredutível. O antigo líder da Fórmula 1 voltou a criticar a gestão dos novos dirigentes do grupo Liberty Media, depois de uma temporada em que, segundo Ecclestone, a nova direção não alcançou nada em termos de objetivos.

Para o ex-dirigente, o grande erro do grupo prende-se essencialmente pela atitude mais…democrática. Ou seja, a necessidade de ouvir todas as partes antes de estabelecer mudanças.

“A democracia não tem lugar na F1”, frisou Ecclestone, em entrevista ao jornal suíço Blick. “Os novos donos perceberão isso em breve, porque, até agora, não conseguiram nada”, assumiu.

Relembre-se que o grupo Liberty Media adquiriu a Fórmula 1 na fase final da temporada de 2016, sendo que, no início de 2017, Ecclestone foi removido de qualquer cargo de liderança.

Comentários

Veja mais