“Mais tarde ou mais cedo a Renault terá de romper com a Red Bull”

Nico Hulkenberg - Renault
Nico Hulkenberg - Renault

A Renault tem contrato de fornecimento de motores com a Red Bull até à época de 2018 e é com esse facto que o diretor da equipa francesa lida. Mas Cyril Abiteboul não deixa de dizer que a separação começa a estar equacionada.

“Mais tarde ou mais cedo, a Renault terá de romper com a Red Bull. A única coisa que posso confirmar hoje é que temos contrato com eles até 2018”, afirmou Abiteboul ao «Auto Hebdo» numa citação do «Car and Driver».

Factos também são que fabricante francesa estará em 2018 presente como motores na sua equipa em nome próprio e na McLaren e na Red Bull – sob a designação TAG-Heuer – enquanto a Toro Rosso terá unidades de potência Honda.

A especulação começa na hipótese de a equipa satélite da bebida de marcas energéticas ser um banco de ensaio para os motores Honda na perspetiva de passarem para a Red Bull.

Comentários

Veja mais