Kees Koolen: "Dez minutos de penalidade é ridículo, porque podia ter morrido"

Kees Koolen pede castigo mais pesado a Sainz
Kees Koolen pede castigo mais pesado a Sainz

Kees Koolen, piloto de quads, alegadamente vítima de colisão por parte de Carlos Sainz, não está satisfeito com a penalidade de 10 minutos imposta ao piloto espanhol. Koolen acredita que a penalização é baixa, até porque podia ter morrido.

"Quando ocorreu o incidente ninguém me perguntou o que tinha acontecido, nem Peugeot nem o Carlos Sainz. Agora que ouvi a decisão dos comissários, acho que 10 minutos não são suficientes. A penalidade deve ser muito maior, não pelo Carlos, mas pela situação”, afirmou o co-fundador da Booking.com.“Prometi a mim mesmo ficar quieto e não falar mais sobre o assunto assim que houvesse uma penalidade, mas creio que 10 minutos é ridículo. Poderia ter morrido e ele não olhou para trás, não parou, não perguntou como eu estava ou se estava bem. A Peugeot também não me perguntou nada. Todos falam de mim, mas eu podia estar morto”, garantiu o holandês, apontando o dedo à falta de iniciativa por parte da Peugeot. 

Koolen contraria também a versão de Sainz, que garante que o piloto de quads regressou repentinamente à pista enquanto efetuava a ultrapassagem.

"Ouvi o Sentinel (sistema de segurança), olhei em redor e vi o Peugeot chegar a alta velocidade. Não sei se ele ia a 120 km/h, 150 km/h ou 180 km/h. Incrível. Acho que tive sorte, porque quando ele me bateu, o meu quad ficou muito danificado. Ele insiste que não me atingiu", frisou Koolen."Se o carro tivesse passado mais 20 cm para a esquerda, estaria morto", assegurou.

A "novela" está longe de chegar ao fim. A Peugeot vai recorrer da decisão para a federação francesa do desporto automóvel.

 

Comentários

Veja mais