Festa do karting termina em pancadaria e deixa Massa “muito triste”

| PC
Felipe
Felipe "Super Mário" Massa em Tóquio. FELIPE MASSA/INSTAGRAM

As 500 Milhas de Karting assinalaram no kartódromo Granja Viana, no Brasil, a sua 20.ª edição, mas o número redondo acabou por ficar marcado por pancadaria entre pilotos. As cenas de extrema violência acabaram com a desclassificação de duas equipas e com Felipe Massa “muito triste” por se ver envolvido neste episódio que estragou a festa.

Massa liderava a prova que durou quase 12 horas e tinha o karting do seu companheiro de equipa Rodrigo Dantas a separá-lo de Tuka Rocha, que seguia na segunda posição e tentava chegar-se ao ex-piloto da Williams.

As tentativas de Rocha para passar Dantas e as defesas deste para travar o adversário acabaram com os dois kartings a baterem e parados nas barreiras de pneus. Mas esse não foi o culminar dos episódios entre os pilotos das duas equipas durante a prova. Os dois envolveram-se numa cena de pancadaria que teve de ser apartada pelos seguranças quando ainda faltavam algumas voltas para o fim.

Todos os kartings das duas equipas acabaram desclassificados e a vitória nas 500 Milhas foi para a equipa de Rubens Barrichello. Mas o que Felipe Massa lamentou foi o dos que acabaram por perder. Segundo o piloto brasileiro, a equipa adversária tentou atirá-lo para fora de pista. Mas não ficou por aí: a sua equipa respondeu na mesma moeda.

Massa pediu “desculpas a todos” por situações “tristes”. “Ponham a culpa em mim”, assumiu o piloto ex-F1 no sumarizar de que considerou ter-se tornado numa “guerra dentro de pista”. Depois de assumir a liderança da prova, Massa contou que os kartings da outra equipa “juntaram-se para bater” em si.

“Bateram em mim e fizeram-me cair para trás. Todos os kartings laranjas tentavam jogar-me para fora. Isso é uma tristeza que nunca vivi na minha carreira...”, lamentou Massa: “Uma equipa mandar os outros jogarem-nos para fora numa corrida que é uma brincadeira, é muito triste.”

Mas não ficou por aí. “Ponham a culpa em mim. Eu estava a guiar. Mas a minha equipa tomou a decisão de atirar os kartings da outra equipa para fora também. E isso é mais triste ainda”, admitiu o brasileiro.

Massa afirmou que “o que houve depois foi uma guerra dentro da pista”. “Não foi uma decisão minha. Mas peço desculpas a todos pelo que aconteceu, porque nunca vi algo assim na minha carreira. A competição é dentro da pista, mas nunca desta maneira”, afirmou à «Sportv».

Comentários

Veja mais