F1: acidente em Spa deixou Alonso sem peças suplentes para Monza

  • Redação Autoportal
Fernando Alonso e Charles Leclerc (Reuters)
Fernando Alonso e Charles Leclerc (Reuters)

O acidente sofrido por Fernando Alonso no GP da Bélgica de Fórmula 1 custou ao piloto espanhol não só o abandono com o carro muito danificado, como essa destruição ainda se fará sentir para o GP de Itália deste fim de semana, pois as peças de substituição do cLaren escasseia nesta altura.

O motor do MCL33 parece bem mas as últimas dúvidas só são tiradas quando o carro for para pista nesta sexta-feira. Já quanto às outras partes do carro, as certezas de que há não peças para substituir outras já usadas que vão ter de voltar são assumidas.

“É o chassi que usei nos testes de inverno e primeiras corridas, por isso é algo com que já corri, mas é um chassi novo. Do lado do motor pensamos estar tudo bem, mas devemos perceber amanhã nos TL1”, afirmou o espanhol citado pelo «Formula1.com».

Alonso revelou que “houve preocupações no domingo” e que, depois, na segunda e terça-feira, os homens da McLaren “verificaram tudo” e as indicações foram positivas: “Espera-se que possamos correr com esse motor.”

“Mas o carro todo, não apenas o chassi, mas também o fundo, a asa dianteira – partes em que estamos limitados –, foram todas. Temos as suficientes, felizmente, mas, provavelmente, vamos ficar sem suplentes. Temos apenas as que temos no carro e tudo o resto deverá ser uma especificação diferente”, admitiu o espanhol.

O piloto da McLaren ficou com a corrida de Monza condicionada logo pela primeira volta em Spa, mas mostrou-se conformado: “É muito duro porque os danos nos carros foram extremos, especialmente no meu carro, e depois tem-se quatro dias para construir um carro completamente diferente para Monza. É assim.”

VEJA TAMBÉM:

F1 ao rubro em Monza: os horários do GP de Itália

Comentários

Veja mais