Michael Schumacher: o mistério continua 4 anos depois

Michael Schumacher
Michael Schumacher

Foi há exatamente quatro anos que a vida de Michael Schumacher sofreu uma reviravolta. A 29 de dezembro de 2013, o sete vezes campeão mundial de Fórmula 1 foi vítima de um acidente de esqui em Méribel (Savoie). Vítima de várias hemorragias cerebrais, o alemão foi então colocado em coma induzido no hospital de Grenoble (Isère) por mais de cinco meses.

Transferido para a Suíça a partir de Lausanne em junho de 2014, Michael Schumacher continuou a reabilitação na sua casa em Gland (Suíça). Desde setembro de 2014, as notícias sobre o estado de saúde do antigo campeão Ferrari e Mercedes são raras. A família do campeão fechou-se em copas sobre o assunto, não revelando nada sobre o estado de saúde do piloto.

Porém, as especulações não param. A última notícia sobre o estado de saúde Schumacher veio a público em setembro de 2016, quando seu advogado, Felix Damm, desmentiu a publicação alemã Bunte que noticiou que o piloto teria voltado a andar.

“Toda essa especulação é irresponsável, porque, dada a gravidade das suas lesões, a privacidade é muito importante. Infelizmente, eles deram falsas esperanças a muitas pessoas”, defendeu numa declaração.

Paralelamente, a família Schumacher lançou uma iniciativa sem fins lucrativos "Keep Fighting", cujo objetivo é "espalhar a convicção de que renunciar à vida não é uma opção, uma mensagem que não só é válida nas competições automobilísticas", de acordo com Sabine Kehm, agente de Michael Schumacher e do filho, Mick.

"Desta forma, esperamos transformar um evento terrível, que afeta toda a família de Schumacher, em algo positivo", afirmou.

O mistério continua. Certo é que a família continua a gastar fortunas na recuperação de Schumi. De acordo com o site Daily Mail, a mulher Corinna terá gasto mais de 22 milhões de euros em despesas médicas.

Comentários

Veja mais