Christian Horner sai em defesa da Liberty

Andy Palmer e Christian Horner
Andy Palmer e Christian Horner

Sergio Marchionne, presidente da Ferrari, voltou a tecer duras críticas ao grupo Liberty Media, no que diz respeito às futuras regras da disciplina previstas para 2021. As ideias não agradam a Marchionne que continua a ameaçar o abandono da Ferrari da Fórmula 1.

A relação entre a equipa do Cavallino Rampante e a nova administração da F1 está longe de se tornar pacífica e não passa despercebida à concorrência. Christian Horner, por exemplo, considerou as declarações do empresário italiano desrespeitosas.

“Acho que é uma falta de respeito para Ross Brawn (diretor da Liberty Media), um dos engenheiros mais bem-sucedidos da história da F1”, declarou o chefe de equipa da Red Bull em entrevista ao El Confidencial. “Isto pode prejudicar a Ferrari ou a Mercedes, mas cabe à Liberty decidir o que quer para a F1”, atirou.

Horner sai em defesa da Liberty, considerando também um erro a Ferrari abandonar a modalidade.

“É a Fomula One Management (FOM) e a FIA que fazem as regras, e por isso cabe às equipas decidir se querem ficar ou não ... Obviamente, que todos querem ver a Ferrari continua, porque é fantástico enfrentar uma equipa tão lendária. Mas é um erro manter a F1 refém, desta forma”, sublinhou.

Comentários

Veja mais