F1: Mario Isola garante que "guerra de pneus" só traz prejuízo

Mudança nos compostos permitirá duas idas às boxes por corrida
Mudança nos compostos permitirá duas idas às boxes por corrida
partilha

Há muito que a Pirelli é a única fornecedora de pneus da Fórmula 1. A última vez em que a modalidade contou com mais de uma fornecedora de pneus foi em 2006, a última temporada da rivalidade entre Bridgestone e Michelin.

Ora, a competição está perto de regressar. Na última pesquisa global de fãs da F1, 69,4% dos inquiridos pediram a introdução de uma nova fornecedora, o que poderia “apimentar” a competição.

Um cenário que Mario Isola descarta…para já. Segundo o diretor desportivo da Pirelli, o regresso de uma “guerra de pneus” só iria prejudicar a modalidade.

 “É uma situação diferente. De momento, fornecemos o mesmo produto a todas as equipas. Colocamos todas as equipas ao mesmo nível em termos de pneus”, frisou. “Ao criar uma competição, os custos aumentam, porque é preciso testar. Há equipas de topo com um produto melhor se compararmos com as equipas mais pequenas, porque não há a obrigação de fornecer os mesmos pneus a todos. Talvez com duas ou três fornecedoras é possível ter algumas equipas a lutar pelo campeonato, mas o resto sofrerá pela performance”, sublinhou.

O diretor desportivo espera uma temporada tão competitiva como a última.

“O último campeonato não foi mau. A Mercedes e Ferrari lutaram pelo título. A Red Bull ganhou força no final da temporada”, disse. “Este ano, espero ver essas três equipas, mais algumas outras surpresas. Tenho certeza de que a Renault será mais competitiva em relação ao ano passado. Provavelmente a Force India também. Espero ver um campeonato interessante”, atirou.

Comentários

Veja mais