F1 terá mais combustível já em 2019 a bem da potência máxima

  • Redação Autoportal
Formula 1: Testes em Barcelona (Reuters)
Formula 1: Testes em Barcelona (Reuters)

Os carros da Fórmula 1 vão ter mais capacidade de carga de combustível já a partir de 2019 para que os monolugares possam recorrer à potência máxima durante toda a corrida contrariando a atual situação em que os pilotos podem ser obrigados a fazer poupanças no andamento para não ficarem com o depósito vazio...

Esta foi uam das decisões já para a próxima tempoara da reunião desta terça-feira entre o Grupo de Estratégia da Fórmula 1 e a Comissão da F1 na qual também participaram o presidente da FIA, Jean Todt, e o diretor executivo da F1, Chase Carey.

O aumento da capacidade de carga de combustível verifica-se dosatuais 105 kg para os 110 kg “no sentido de permitir a utilização do motor em potência máxima em todos os momentos”, refere o comunicado da FIA acrescentando que os pesos do piloto e do carro passarão a ter valores mínimos medidos em separado.

Em 2019, todos os pilotos serão também obrigados a “usar luvas biométricas para aumentar a segurança e facilitar a assistência médica”. A FIA adianta ainda que continuarão as conversas em relação às questões da aerodinâmica com vista a uma decisão no final deste mês.

As deliberações toadas ficam sujeitas às posterior aprovação do Conselho Mundial do Desporto Motorizado.

A definição dos regulamentos quanto aos motores a partir de 2021 também continua em cima da mesa e as propostas desta terça-feira versaram a adoção do motor de 1.6 litros V6 turbo híbrido e a eliminação do MGU-H (recuperador de energia do turbo).

Ficou também acordado que os novos regulamentos quanto às unidades de potência deverão ficar fechados em maio de 2021.

Comentários

Veja mais