GP da Austrália: primeiros treinos são da Mercedes, problemas são da McLaren

  • Redação Autoportal
Lewis Hamilton (Reuters)
Lewis Hamilton (Reuters)

Lewis Hamilton foi o piloto mais rápido nos primeiros Treinos Livres para o GP da Austrália, a prova inaugural do Mundial 2018 de Fórmula 1.

O campeão do mundo foi secundado pelo seu companheiro de equipa na Mercedes, Valtteri Bottas, que ficou a meio segundo dos 1m24.026s com que Hamilton fechou os primeiros treinos da temporada.

O Red Bull de Max Verstappen foi o terceiro carro mais rápido no circuito citadino de Albert Park. Os Ferrari de Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel fecharam o quinteto que rodou no segundo 24 – grupo em que os carros da Scuderia foram os que não utilizaram o composto mais mole em Melbourne: os pneus ultramacios.

Os McLaren deixaram boas indicações da sua previsível evolução de desempenho, mas os problemas ainda não deixaram de ser sina da equipa de Woking. Fernando Alonso já tinha alertado para as maiores dificuldades da equipa se verificarem neste começo na Austrália e as previsões verificaram-se.

Os MCL33 tiveram de resolver problemas com o escape e quer o espanhol quer Stoffel Vandoorne perderam cerca de uma hora da sessão sem marcar um tempo. Nesta caso, quem esperou mais melhor ficou. A Alonso restaram cerca de 20 minutos, mas com o McLaren em condições, o bicampeão espanhol subiu ao oitavo tempo.

O belga, como se disse também deu boa conta enquanto pôde fechando o top 10 onde também entraram o Renault de Carlos Sainz e o Haas de Romain Grosjean. A última nota fica com Sergey Sirotkin, que bateu Lance Stroll na sua estreia pela Williams.

A sessão terminou com simulações de partida para os pilotos testarem a visibilidade com a alteração da posição dos semáforos devido à introdução do halo – como pode ver nos artigos relacionados.

VEJA TAMBÉM:

Comentários

Veja mais