GP do Azerbaijão: Hamilton ganha corrida com final louco e lidera Mundial

  • Pedro Calhau
Lewis Hamilton (Lusa)
Lewis Hamilton (Lusa)

Lewis Hamilton venceu o GP do Azerbaijão neste domingo e é o novo líder do Mundial de Fórmula 1 disputadas que estão quatro provas do calendário.

Kimi Raikkonen ficou no segundo lugar e Sergio Pérez (Force India) fechou os lugares do pódio, numa corrida que teve três comandantes, muitos choques... e um final de loucos...

A Mercedes e o campeão do mundo estrearam-se a ganhar na temporada, mas a equipa alemã não teve apenas razões para sorrir com o abandono de Valtteri Bottas. Já na Ferrari, também os sentimentos ficaram divididos, pois, se passou comando a tabela dos Construtores, Vettel passou de uma liderança da prova confortável ganha desde a pole-position para trás de Raikkonen.

No meio de muita confusão, foi apenas na antepenúltima volta que Hamilton passou para a frente da prova – uma liderança (da Corrida e do Mundial) que lhe caiu do céu. E, até lá, o que se passou no Circuito Citadino de Baku ficou com muito para contar, desde início...

Vettel saiu bem da pole e segurou o comando, mas logo na primeira volta houve toques e abandonos e Safety Car. Foi a deixa para Raikkonen, envolvido com Esteban Ocon num toque logo na primeira volta (partindo do sexto lugar atrás dos Red Bull e dos Mercedes), compensar a troca de pneus mudando logo dos ultramacios para os macios prevenindo apenas a única paragem prevista – quando os outros Ferrari, os Mercedes e os Red Bull partiram com os macios.

Os dois carros da equipa austríaca deram nas vistas entre si logo de início também e, por sinal, estariam no centro do final de loucos que se viveu. Enquanto Vettel ia controlando o comando mantendo os dois Mercedes à distância, a luta entre os Renault e os Red Bull pelo quarto lugar animavam a prova. Mas, para além disso, o duelo interno entre Max Verstappen e Daniel Ricciardo mostrava as primeiras faíscas.

Esse duelo voltou a aquecer mais tarde e «pegou fogo». Hamilton foi o primeiro a ir às boxes trocar os macios para os (previsivelmente até final) macios. Vettel controlava e foi depois fazer operação idêntica. Bottas ficava na frente e esticava o andamento com os macios da partida, mas os tempos não se queixavam – mesmo que a distância sobre o alemão da Ferrari não lhe garantisse a manutenção da liderança quando fosse à box...

A dezena e meia de voltas do final da prova, os Red Bull deram início à «grande sapatada» que iria definir o final louco que se viveu em Baku. Ricciardo ganha o primeiro duelo a Verstappen em pista pelo quarto lugar. O holandês consegue recuperar a posição com as trocas nas boxes para os macios com uma volta de diferença – ficavam a faltar 12 para as 51 voltas da prova.

Ricciardo voltou ao ataque e tentou passar. Verstappen fechou – no que parece ter sido um movimento a fechar na direita e seguido de um segundo a virar e a fechar na esquerda – numa manobra que ainda dará que falar com duas mudanças de direção em zona de travagem... Com o Red Bull do holandês a fechar dos dois lados na travagem, o australiano não conseguiu também ele travar a tempo sem bater na traseira de Verstappen.

O golpe de teatro estava em cena, não só com ambos os Rd Bull fora de prova, mas com o Safety Car novamente em pista – tudo o que Bottas precisava para ir às boxes trocar (agora já não para macios, mas) para os ultramacios e sair à frente de Vettel quando se colou ao Safety Car – os dois Ferrari também trocaram para o composto mais mole, mas não evitaram ficar cada um deles com um Mercedes à frente...

No arranque após a saída do Safety Car (em cujo período Romain Grosjean conseguiu bater no muto a dar temperatura aos pneus), Vettel arriscou tudo e perdeu. O alemão tentou passar Bottas, mas o retardar da travagem foi mesmo muito tarde e teve de alargar muito a trajetória (com uma travagem funda) sendo passado por Hamilton e Raikkonen. E, com a degradação dos pneus, ficando também à mercê de Pérez, que acabou por não perder a hipótese de tomar o quarto lugar (na altura).

Pois é, Bottas liderava seguido de Hamilton e de Raikkonen. As coisas estavam todas de feição para a Mercedes. Mas não foi perfeito. Só para Hamilton. Bottas furou um pneu ao passar por cima de destroços na pista e o campeão do mundo inglês seguiu confortável para a primeira vitória da época que lhe caiu do céu a duas voltas do final.

Raikkonen subia um luar no pódio, Pérez entrava nele. Vettel teve de se contentar com o quarto lugar perdendo a liderança de um Mundial de F1 onde todas equipas já têm pontos pontuaram e onde apenas Romain Grosjean e Sergey Sirotkin não pontuaram depois do 10.º lugar de Brendon Hartley, do oitavo posto do Williams de Lance Stroll e da excelente sexta posição de Charles Leclerc.

Veja o Filme da Corrida AQUI

Classificação do Mundial de Pilotos:

1. Lewis Hamilton (Mercedes), 70 pontos

2. Sebastian Vettel (Ferrari), 66

3. Kimi Raikkonen (Ferrari), 48

4. Valtteri Bottas (Mercedes), 40

5. daniel Ricciardo (Red Bull), 37

6. Fernando Alonso (McLaren), 28

7.Nico Hulkenberg (Renault), 22

8. Max Verstappen (red Bull), 18

9. Sergio Pérez (Force India), 15

10. Carlos Sainz Jr., 13

...

Classificação do Mundial de Construtores:

1. Ferrari, 114 pontos

2. Mercedes, 110

3.Red Bull, 55

4. McLaren, 36

5. Renault, 35

...

O Mundial de F1 prossegue com o GP de Espanha a 13 de maio.

Comentários

Veja mais