MotoGP explica presença das hospedeiras na caravana do Mundial

  • Redação Autoportal
| PC
Grid Girls do MotoGP
Grid Girls do MotoGP

A Fórmula 1 anunciou na quarta-feira que esta temporada de 2018 já não terá «grid girls». Em relação ao MotoGP, assume-se que as hospedeiras que integram a caravana nos fins de semana de corridas estão para ficar.

Em “discordância”/a> com o valores da marca e as normas sociais, a presença de modelos femininas na grelha de partida das corridas da F1 acabou – numa medida extensiva aos outros campeonatos que se sucedem à categoria rainha.

No MotoGP, a Dorna explica que a presença das hospedeiras no paddock é uma realidade da competição – seja com mulheres ou homens – que depende diretamente das equipas e não do organismo que regula a competição, indicando que as «pit babes» fazem parte da caravana do Mundial no fim de semana das corridas.

“Nós não contemplamos essa situação porque para a Dorna são mais uns empregados do paddock, parte da caravana do Mundial, pessoas que são contratadas pelas equipas e pelos promotores, não por nós, porque entendem que é preciso para as suas campanhas e ações e lhes dá jeito”, afirmou o diretor de comunicação da Dorna à «Marca».

Ignasi Sagnier explica que a posição do organizador é de não interferência: “Enquanto não virmos nada desrespeitoso, e para nós é igual que sejam raparigas ou rapazes, nós não nos metemos ou tomamos medidas.”

“Para além disso, já vieram muitas rapazes e raparigas para a grelha sem problemas e, para elas, muitas modelos ou estudantes, é mais um trabalho e na segunda-feira voltam ao seu [emprego]”, disse a respeito de pessoas merecedoras do “respeito” dos responsáveis “porque é mais um trabalho”.

Comentários

Veja mais