MotoGP: Márquez com estatuto de lenda

Marc Márquez - GP de Valência (Lusa)
Marc Márquez - GP de Valência (Lusa)

Aos 24 anos, Marc Márquez já é considerado lenda do desporto espanhol. O tetracampeão MotoGP recebeu esta segunda-feira o galardão Lenda do jornal Marca, título que aceitou depois de alguma hesitação.

“Quando me propuseram, disse: ‘Não sei’. Depois, explicaram-me o conceito e isso aceitei. É uma honra. Acima de tudo, respeito. Sim, bom, prémio da lenda, mas que não pare aqui, e que continue crescendo", respondeu Márquez em entrevista ao diário desportivo.

Márquez relembrou a temporada 2017 e a luta com Andrea Dovizioso (Ducati). Para o espanhol, a vitória em Phillip Island foi crucial para manter a distância pontual para com o italiano.

“O GP da Austrália foi chave. Tanto ele quanto eu aguardámos a pressão de um dos dois, sempre arriscando até ao limite. Na segunda metade, partilhámos as vitórias. Ou ganhava eu ou ganhava ele. Pressionei uma vez, em Silverstone. Perdi muitos pontos. Isso deixou-me muito irritado, mas aceitei. Ele arriscou mais na Austrália. Isso permitiu-me manter o ritmo na Malásia. Em Valência parti para garantir o título”, recordou.  

Márquez abordou também o futuro no MotoGP. Carlos Pernat colocou água na fervura ao apontar o tetracampeão à KTM ou Ducati em 2019, porém, o piloto Honda permanece tranquilo.

"O motociclismo não é como o futebol. É preciso analisar a moto, as afinações a fazer. A Honda terá a primeira palavra, é uma coisa que não posso negar. A marca ofereceu-me a oportunidade de competir no MotoGP, com uma equipa de fábrica. Sinto-me valorizado por isso", explicou o espanhol.

"Aos 24 anos, estou ciente que não é o dinheiro que me faz mover. Eu quero aproveitar cada momento, a felicidade. Se não fosse esse o caso, então estaria a viver noutro país. A felicidade não pode ser comprada, não tem preço. É por isso que aqui estou e vou para onde vejo que o desporto é o melhor para mim", sublinhou.

 

Comentários

Veja mais