Verstappen: é “difícil aceitar” os “milhões” que se paga pelo motor Renault

  • Redação Autoportal
Max Verstappen (Lusa)
Max Verstappen (Lusa)

Max Verstappen ficou pela sexta volta do GP da Hungria de Fómula 1 tendo abandonado a corrida com problemas no motor do Red Bull que a equipa crê estarem relacionados com uma falha no MGU-K (recuperador de energia).

Na conversa rádio com os seus engenheiros enquanto parava o carro, o piloto holandês não escondeu o desagrado perguntando de forma irónica se não podia continuar a rodar para ver se o motor rebentava de vez...

À parte o vernáculo utilizado nessa comunicação, Verstappen manteve a irritação centrando as críticas no dinheiro que a Red Bull para a Renault por motores que não estão à altura das expetativas da equipa austríaca.

“Paga-se milhões, a equipa, porque se está espera de um motor decente, mas continua a ceder. Honestamente, na altura é difícil aceitar. Eu estava muito irritado no rádio. (...) Por isso, vamos ver o que temos de fazer em Spa, se temos de sofrer penalizações. Ainda não sei. Neste momento, também não me importo.”

Também à «Sky, o diretor da Red Bull não deixou de referir os milhões que a sua equipa paga pelos motores e estendeu às críticas à resposta que já espera da Renault.

“Pagamos muitos milhões de libras por estes motores e por produtos de primeira ou topo de gama e pode ver-se claramente que se está abaixo desse nível. (...) Deixarei o Cyril [Abiteboul, o diretor da Renault] vir com as desculpas a seguir.”

Comentários

Veja mais