Marc Márquez: "Há pressão de não falhar"

Marc Márquez - Misano
Marc Márquez - Misano

Marc Márquez (Honda) terminou o GP da Malásia em quarto lugar. As condições na pista não eram as melhores para o líder do campeonato que ainda assim conseguiu subir de um sétimo lugar da grelha de partida. Com a vitória de Andrea Dovizioso (Ducati), segundo classificado do campeonato, o título será discutido em Valência e Marc mal pode esperar para que dia 12 de novembro, chegue.

"Estou satisfeito com o resultado.Tinha noção de que com as condições na pista molhada e com a minha ânsia de ganhar, não podia simplesmente deitar tudo a perder. Tentei obter um pouco mais e procurei ter alguma agressividade, mas estive sempre ciente de que era só mais uma corrida até ao culminar do que espero alcançar em Valência ", explicou o líder do campeonato

Questionado sobre a pressão, Marc sublinhou que há uma margem confortável de pontos que o separa do piloto Ducati, mas prefere não festejar antes do tempo.

"Sim e não. Há apenas a pressão de não falhar, depois de ter 33 pontos de diferença, agora são 21 e sou eu quem pode perder o campeonato. O Dovizioso só pode ganhar. Sou líder, tenho uma vantagem e tenho de estar atento a isso.

Até dia 12 de novembro, Marc terá tempo para pensar na estratégia para Valência, uma "casa" que conhece bem.

"É bom chegar a casa, e refletir. Valência é um dos circuitos onde me dou bem. As curvas à esquerda, ajudam. Dizem que o melhor ainda está para vir e por isso espero que seja algo de muito bom. E na presença dos fãs é sempre especial."

Comentários

Veja mais