Diogo Gago: "Aqui corre-se de 'faca nos dentes' até ao fim"

Diogo Gago
Diogo Gago

O ano de 2018 promete ser em grande para Diogo Gago. O piloto de 26 anos, que é reconhecido como um dos valores mais seguros no panorama dos ralis nacionais com várias vitórias no currículo a nível nacional e internacional, mereceu a confiança do Grupo MCoutinho que o inscreveu na Copa Ibérica Peugeot 208 R2, pondo um fim à "seca" competitiva do piloto algarvio.

"No ano passado o meu programa foi muito reduzido, fiz quatro provas em França e o Rali do Algarve. É um número que não permite ganhar ritmo ou confiança, fatores fundamentais aqui no Rali dos Açores. Sinto falta de ritmo e confiança mas o rali é longo e tem muitas armadilhas", explicou em entrevista ao Autoportal. "Espero estar à altura do compromisso. A última vez que aqui estive ganhei no Europeu de Juniores, por isso tenho que retirar coisas boas na minha passagem aqui", adiantou o piloto que venceu em 2016, tornando-se no primeiro português a arrancar a vitória numa prova do Campeonato Europeu de Júniores.

Os Açores abrem a porta a uma nova etapa na carreira do piloto que assume estar mais calmo em relação à "versão" 2016.

"Estou mais maduro do ponto de vista competitivo. Já faço uma reflexão das coisas e não reajo de "sangue quente". Antes era "sempre a fundo" e as coisas às vezes corriam mal. Trabalhei nesse sentido para melhorar a minha performance nos ralis e está a resultar. Sinto que estou mais consistente e competitivo", garantiu.

Ainda que a temporada intermitente tenha deixado algumas marcas, Gago espera não sair de São Miguel de "mãos a abanar". A mira está apontada ao pódio e, de preferência, ao lugar mais alto. Contudo, o piloto espera dificuldades naquele que é considerado um dos campeonatos mais concorridos.

"Tive de suar bastante para assinar a minha vitória em 2016, por isso em 2018 estarei com os pés bem assentes na terra. Aqui há muitos pilotos bons, que vêm com a mesma ambição que eu e vamos estar todos a lutar pelo mesmo. Quero fazer as coisas com cabeça e terminar. Ainda assim, ambiciono estar no top 3 na primeira metade do rali", atirou. "Os pilotos do Europeu de Juniores "não olham a meios". Não pensam num possível acidente e correm de faca nos dentes do início ao fim, esperando que as coisas corram bem", explicou.

E por falar em "correr bem"... Gago espera realizar uma temporada completa e sem paragens. Uma necessidade para quem tem paixão e o sonho de ser um piloto a tempo inteiro e de alto nível.

"A minha ambição é simples: correr. Tenho muita vontade de ser um piloto de referência a nível nacional e até agora tenho conseguido, mas para isso é preciso ter apoios, algo que me tem faltado na carreira. Graças à MCoutinho, tenho a grande oportunidade de fazer uma temporada contínua. Vou agarrá-la e trabalhar para conseguir fazer aquilo que mais gosto por muito tempo", sublinhou.

Com o navegador Miguel Ramalho, Gago ocupa a 3ª posição do FIA ERC U27, atrás de Martins Sesks (Opel Adam R2) e de Efren Llarena (Peugeot 208 R2). Na classificação geral, o piloto algarvio ocupa a 31ª posição.

Comentários

Veja mais