F1: presidente da Ferrari dá voto de confiança ao diretor da equipa

Maurizio Arrivabene
Maurizio Arrivabene

O presidente da Ferrari veio dar um voto de confiança a Maurizio Arrivabene depois do GP dos Estados Unidos como reação às notícias de pressão sobre o diretor da equipa de Fórmula 1.

Sergio Marchionne afirmou que os recentes maus resultados que deixaram Lewis Hamilton a um quinto lugar do título de Pilotos e a Mercedes já como campeã de Construtores a três provas do final da época são responsabilidade de uma estrutura de que ele também faz parte.

"Tanto o Mattia [Binotto, o diretor técnico] como o Maurizio têm estado envolvidos neste processo. Apontar para um ou para outro é idiota. Eles estavam ambos no meio das operações e, tecnicamente, eu também estou envolvido”, afirmou Marchionne citado pelo «Crash.net».

O líder da marca italiana fez questão de lembrar as suas responsabilidades como “presidente” e destacou que o caminho da substituição de cadeiras “não vai resolver a questão”. “Precisamos de ganhar, isso é o mais importante. Não penso que seja atribuível a uma única pessoa”, assumiu Marchionne referindo que “os meios podem não ter ajudado” e que “essas coisas estão a ser tratadas”.

“Fizemos uma mudança na organização trazendo alguém que tem experiência na parte da qualidade para tentarmos reforçar as nossas capacidades. Quanto ao resto, penso que está ao nosso alcance gerir”, afirmou Marchionne sem querer mudanças: “Não penso que precisemos de remodelar a equipa ou de fazer mudanças."

Ao descartar a necessidade de alterações na estrutura da Scuderia, o presidente da Ferrari acabou a dar votos de confiança aos seus elementos: “A equipa sabe como ganhar e sabe como consegui-lo. Dêem-lhes simplesmente o espaço.”

Comentários

Veja mais