«Porca miséria»: como 2 euros estragaram o dia da McLaren

  • Redação Autoportal
| PC
Stoffel Vandoorne - McLaren (Reuters)
Stoffel Vandoorne - McLaren (Reuters)

Os testes de pré-época da Fórmula 1 que decorrem em Barcelona servem precisamente para as equipas detetarem problemas, corrigi-los e melhorarem assim, o desempenho dos carros. Mas há situações que surpreendem qualquer programa...

E a McLaren viu-se no meio de uma delas quando um componente «insignificante» - leia-se no seu custo em relação a um carro que no seu total custará à volta de uma dezena de milhões de euros - estragou uma sessão de trabalho.

Nos testes de terça-feira, o MCL33 de Stoffel Vandoorne começou a arder quando o belga estava em pista obrigando-o a parar o carro. E a paragem acabou por ser demorada. O motivo do fogo deveu-se à quebra de uma porca que deixou o escape solto... e os homens da McLaren de ânimo quente...

“Foi uma estúpida de uma porca que partiu no escape. Por isso, foi um problema de duas libras (cerca de 2,2 euros) que nos custou uma série de tempo em pista, porque depois ficou tudo queimado na traseira do carro”, afirmou o diretor de equipa britânica explicando que foi “necessário reconstruir a caixa de velocidades e a traseira”.

Nestas declarações à «Autopsort», Eric Boullier adiantou que “não foi nada mais do que isto”. “Não nos custou muito rever o design, foi mais o tempo de pista que perdemos”, reforçou o francês.

Comentários

Veja mais