Os Portugueses que triunfaram em 2017

Miguel Oliveira - GP de Valência (Lusa)
Miguel Oliveira - GP de Valência (Lusa)

Assinaram o nome nas páginas de história do automobilismo e motociclismo internacional e fizeram entoar o hino nacional em casa e além fronteiras. Com um percurso ascendente, imaculado ou marcado pelo azar, todos eles são motivo de orgulho. Aqui fica a nossa seleção:

Tiago Monteiro

O ano de 2017 foi de altos e baixos para Tiago Monteiro. Depois de um duplo pódio com sabor a vitória em Vila Real, o piloto português teve o título de campeão WTCC na mão, até sofrer um grave acidente numa sessão de testes com o Honda Civic em Barcelona durante o mês de setembro. As sequelas do acidente fizeram-no perder as quatro últimas rondas do campeonato (China, Japão, Macau e Qatar) e entregar a liderança e título a Thed Björk (Volvo).
Foi um despedimento amargo ao campeonato que se extingue para dar lugar ao WTCR. Ainda assim, Monteiro é prova foi constantemente apoiado pelos fãs, companheiros de equipa e até de outros pilotos. O novo ano promete um regresso em grande.

Miguel Oliveira

Com apenas 22 anos, Miguel Oliveira mostrou durante o ano de 2017 que tem fibra de campeão. A temporada foi ascendente para o piloto Moto2 que no seu ano de estreia da KTM conseguiu roubar todas as atenções ao somar nove pódios, duas pole-positions e três vitórias consecutivas (GP Austrália, GP Malásia e GP Valência). Terminou 2017 em terceiro lugar do campeonato com 241 pontos e é sem dúvida, candidato ao título 2018 e promessa do MotoGP em 2019.

Paulo Gonçalves

Difícil não pensar em Paulo Gonçalves quando se fala de rali Dakar. O piloto da Honda habituou-nos a inúmeras conquistas na categoria de motos e o seu nome figura geralmente no top-10.
Ora, 2017 não foi exceção e o português concluiu a 39.ª edição do rali em sexto lugar e foi o melhor piloto luso da geral, a quase uma hora do vencedor, depois de ter sido quinto na última etapa, a 1.25 minutos do vencedor, o francês Adrien van Beveren (Yamaha). Foi o segundo melhor resultado de sempre de Gonçalves, depois da segunda posição em 2015.

Pedro Lamy

O veterano Pedro Lamy continua a dar cartas no automobilismo. Ao lado do austríaco Mathias Lauda e do canadiano Paul Dalla Lana, sagrou-se campeão mundial de resistência de 2017, na categoria LM GTE AM, ao vencer as 6 Horas do Bahrain. Ao volante de um Aston Martin, Lamy, Lauda e Lana terminaram a nona e última prova do Mundial no 21.º lugar da classificação geral, mas no primeiro em LM GTE AM, a quarta categoria do campeonato, conquistando a quarta vitória da época.

Filipe Albuquerque

Filipe Albuquerque encontrou a estabilidade que precisava na United Autosports. Ao lado do norte-americano Will Owen e do suíço Hugo de Sadeller, sagrou-se vice-campeão europeu da Le Mans Series na classe LMP2 ao terminar a prova de 4H de Portimão em segundo lugar. Mas, o grande trunfo de Albuquerque está no outro lado do Atlântico: os Estados Unidos. Foi lá que garantiu o seu primeiro título da época ao vencer a Taça Norte Americana de Endurance com João Barbosa e Christian Fittipaldi ao volante do Cadillac da Action Express Racing.

António Félix da Costa

De todos os pilotos é, provavelmente, aquele que mantém a agenda mais preenchida com participações na Fórmula E, GT Open e outras provas de resistência enquanto piloto oficial BMW, Stock Car, etc… ‘Formiga’ mostra que o trabalho rende frutos e os sonhos…atingíveis. A par da BMW, Félix da Costa anunciou que vai competir nas 24H de Le Mans ao representar a marca alemã no Mundial de Endurance sendo piloto titular num dos dois BMW M8 GTE no WEC.

Comentários

Veja mais