Mercedes também ameaça deixar a F1: “É muito possível”

Toto Wolff - Mercedes
Toto Wolff - Mercedes

A Mercedes repetiu a ameaça da Ferrari e a equipa alemã assume que o cenário de deixar a Fórmula 1 “é muito possível”.

Toto Wolff considera que os novos donos da Fórmula 1 “nada” fizeram que tenha retido a sua atenção neste primeiro ano da Liberty à frente do desporto. “Fazer iniciativas erráticas como o Michael Bufffer [o apresentador de combates de boxe] em Austin não torna o desporto melhor”, afirmou o diretor executivo da Mercedes ao «KronenZeitung».

Com questões como os orçamentos mais equiparados entre as equipas ou os novos regulamentos para os motores em 2021 em cima da mesa, Wolff reafirma que os pontos de vista entre os tetracampeões do mundo e os donos do desporto diferem.

“Não se percebe uma visão. Ninguém sabe em que direção se está a ir. Tudo o que sabemos é que as receitas caíram a pique”, considerou o austríaco numa posição característica das equipas mais fortes da grelha de partida.

E como outros entre os mais fortes, como é o caso da Ferrari, o diretor da Mercedes não se escusou a admitir que é concebível sair da F1: “Tal cenário é muito possível. Tal como a Ferrari.”

“Se não se vê o que significa a Fórmula 1, então temos de fazer a pergunta traiçoeira: não se, mas onde é que queremos estar no desporto motorizado de alto nível”, assumiu Toto Wolff.

Comentários

Veja mais