Rossi não larga os engenheiros da Yamaha: "Fogem quando me veem”

  • Redação Autoportal
Valentino Rossi (Lusa)
Valentino Rossi (Lusa)

Valentino Rossi terminou em segundo lugar no último GP da Alemanha de MotoGP e, com o quinto pódio da temporada, o piloto italiano da Yamaha já só aguarda pela primeira vitória do ano.

Em tom de brincadeira, em declarações recolhidas pelo «Motorsport.com» após a corrida Sachsenring, Rossi diz que não para de exigir evoluções na moto e que os engenheiros é que sofrem: “Estou a pressionar muito a Yamaha e eles já não aguentam mais. Fogem quando me veem.”

“Sempre que estou lá peço coisas, porque precisamos de algo na aceleração. A realidade é que ainda não ajudou muito, mas esperamos que melhore, porque o campeonato ainda é longo e eu gostaria de tentar lutar para vencer antes do final do ano", afirmou «Il Dottore».

Ainda sem uma vitória na época, Rossi é o segundo classificado do Mundial, com menos 46 pontos do que o líder: o campeão do mundo da Honda, Marc Marquez.

“Temos de começar a ganhar corridas novamente”, apontou o italiano sabendo que “é difícil”, mas ainda com esperança: “Ainda há dez corridas. Se os japoneses nos derem uma ajuda e pudermos resolver os nossos pequenos problemas...”

Comentários

Veja mais