McLaren Senna: o tributo que fazia falta

McLaren Senna: tributo de 800 cv

Com combinações de números e letras, os nomes atribuídos aos modelos McLaren são geralmente tão eloquentes quanto fórmulas matemáticas. Mas, a marca decidiu abrir uma exceção para um modelo especial e homenagear um dos melhores pilotos de todos os tempos: Ayrton Senna, lenda da F1.

Um modelo excecional

O McLaren Senna junta-se à família Ultimate Series, que reúne os modelos mais extremos e exclusivos da marca. Sucede ao P1 e restantes sucessores, mas não rompe com a filosofia McLaren. Contudo, o design é bem mais agressivo. A carroçaria em carbono está bem ventilada graças à presença de entradas de ar e a enorme asa traseira está posicionada a um nível ligeiramente mais alto que o tejadilho. As portas que abrem em ângulo diedro são inconfundíveis.

Mas este McLaren Senna não é, de qualquer forma, realmente destinado às estradas: o tributo a Ayrton Senna, está principalmente pensado para as pistas.

A relação potência / peso é excecional, próxima à de um Bugatti Chiron: 800 cavalos e 800 Nm de binário máximo para 1198 kg.

Para beneficiar do peso ‘pluma’, a marca apostou na tecnologia híbrida. O motor V8 de 4.0 litros biturbo é herdado do recente 720S, sempre associado a uma caixa de dupla embraiagem de sete velocidades.

A cereja no topo do bolo é o "RaceActive Chassis Control II" (RCC II), que permite rebaixar o carro por alguns milímetros e ganhar assim uma maior adesão ao solo e atingir assim velocidades estonteantes. Algo que ainda está por descobrir, já que a McLaren não revelou dados sobre o máximo que o ‘Senna’ pode atingir. Além disso, conta com pneus Pirelli P Zero Trofeo R, discos de travão em cerâmica e três modos de condução ("Comfort", "Sport" e "Track").

O modelo é exclusivo e não é acessível a qualquer um, pois o preço está estimado em 930 mil euros. Porém, será possível vê-lo ao vivo e a cores no Salão Automóvel de Genebra que decorre de 8 a 18 de março de 2018.

Reduzido a apenas 500 unidades, o McLaren Senna será produzido a partir do terceiro trimestre do próximo ano na fábrica de Woking, em Inglaterra.

Comentários

Veja mais