Dakar 2018: Carlos Sousa de regresso

Carlos Sousa no Dakar ao volante de um Duster
Carlos Sousa no Dakar ao volante de um Duster

Carlos Sousa está de regresso ao Dakar (6 a 20 de janeiro) e ao volante de um Duster. Integrado na equipa oficial da Renault Sport Argentina, o piloto português mais bem-sucedido na história da modalidade, estreia-se na 40.º edição do mais famoso rali do mundo com este modelo que, em anteriores edições, chegou a conquistar dois terceiros lugares em etapas.

Em comunicado oficial da Renault Sport, Carlos Sousa revelou estar motivado para o novo desafio.

“É um convite que me orgulha bastante”, sublinhou. “Estava parado há dois anos e longe de imaginar poder ser convidado para regressar ao Dakar. Mas o convite surgiu e não podia ficar em casa. Estou muito motivado, tenho acompanhado o excelente trabalho que a equipa tem feito e não vejo a hora de me sentar ao volante do Duster, com quem travei curiosas lutas no passado.”

Carlos Sousa reconheceu o potencial do Duster (a gama Dacia é comercializada na Argentina sob a marca Renault) e sublinhou o objetivo de terminar entre os dez primeiros da geral.

[O potencial] é grande e basta ver os resultados alcançados, em algumas etapas, em anteriores edições. Acredito que podemos surpreender com um resultado final entre os 10 primeiros”, explicou. "A expetativa é muito elevada face à qualidade da lista de inscritos, mas tanto eu como a equipa acreditamos nessa possibilidade. Também confio que a experiência que tenho do deserto pode ajudar a concretizar esse objetivo e, como a edição 2018 do Dakar até começa logo com areia, espero estar à altura do desafio.”

Para “recuperar o ritmo perdido em dois anos de ausência de competições", Carlos Sousa irá realizar um teste no final deste mês, na Argentina. Uma sessão em que está previsto realizar cerca de 2000 quilómetros.

Relembre-se que desde a estreia em 1996, Carlos Sousa conta já 17 participações no maior e mais mediático rali do mundo, exibindo como melhor resultado um 4º lugar alcançado em 2003. Soma um total de dez presenças no top-10 da classificação geral. Ao 4º lugar de 2013, o piloto junta ainda dois quintos lugares (2001 e 2002), três sextos (2010, 2012 e 2013), três sétimos (2005, 2006 e 2007) e um décimo em 1997, além de seis vitórias em etapas.

Comentários

Veja mais