F1: Honda "aliviada" por deixar a McLaren

Fernando Alonso - GP Malásia
Fernando Alonso - GP Malásia

O divórcio entre McLaren e Honda na Fórmula 1 era expectável, principalmente depois de uma série de maus resultados que colocaram em xeque a credibilidade da equipa e dos pilotos (que o diga, Fernando Alonso!).

Após uma relação que durou três anos, ambas as partes concordaram em terminar a relação e a McLaren passa a adotar os motores Renault enquanto a Honda avança para a Toro Rosso.

Uma decisão que a marca japonesa aceita de bom grado e com “alívio”.

"Alívio, sim. É bom poder concentrarmo-nos na próxima temporada", confessou Yusuke Hasegawa, antes de abandonar o projeto Honda na F1. "Acredite-se ou não, acho que (McLaren-Honda) não tem problemas pessoais. Temos um relacionamento muito bom com a McLaren", confessou na altura o então responsável pela marca japonesa.

Em declarações à Motorsport.com, Hasegawa lamentou o facto da união com a McLaren ter chegado a um fim. Contudo, salvaguardou que a prioridade da Honda é melhorar a reputação na F1.

“Claro que é uma pena decidirem adotar um motor diferente no próximo ano. Mas é parte de uma estratégia e precisamos de respeitá-la e tornarmo-nos numa construtora forte no futuro para que outras equipas optem por nós”, sublinhou.

Comentários

Veja mais