Nomeação de Carmen Jordá indigna comunidade feminina

Nomeação de Carmen Jorda indigna pilotos femininas
Nomeação de Carmen Jorda indigna pilotos femininas

A piloto Carmen Jordá está no centro de uma polémica que levanta questões importantes no que toca à integração das mulheres no desporto motorizado. A espanhola - filha do piloto José Miguel Jordá - foi nomeada pela FIA para integrar a Comissão das Mulheres no Desporto Motorizado e tal caiu mal na comunidade feminina. Tudo por causa dos recentes comentários de Jordá que defendeu que as mulheres deveriam competir no seu próprio campeonato de Fórmula 1, porque não conseguem competir igualmente com homens.

A nomeação de Jordá - que em três temporadas de GP3 Series nunca conseguiu classificar-se nos 20 primeiros lugares - surge numa altura em que uma empresa sediada em Londres prepara-se para lançar um campeonato feminino de seis corridas, para começar em 2019.

Pippa Mann, mostrou-se preocupada com a nomeação de Jorda e as implicações que pode revelar no futuro. Para a piloto IndyCar faria mais sentido a FIA optar por Christina Nielsen, detentora do título IMSA GTD, ou Katherine Legge que também ganhou o IMSA GTD, ou até Tatiana Calderon que chegou ao pódio na Fórmula V8 3.5.

"Contra este pano de fundo de talento feminino atual e crescente, é extremamente dececionante saber que uma piloto sem resultados notáveis em qualquer das categorias em que  competiu e que acredita e é citada a dizer que não acredita em nós, foi nomeada para a Comissão ", disse Mann em declarações ao Motorsport.com.

"Para mim, a nomeação de alguém com esse tipo de crenças, para um comité destinado a promover a causa das mulheres nas corridas, é incrivelmente desanimador e representa um verdadeiro retrocesso da FIA",

A ex-piloto de testes da Williams e pioneira do movimento "Dare to be different" Susie Wolff enfatizou o automobilismo como uma atividade na qual as mulheres têm a mesma oportunidade que os homens.

"Se querem ver mulheres mais bem-sucedidas no automobilismo, é simplesmente aumentar o número de talentos, que inspirem mais meninas e mulheres a entrar no desporto", frisou.

 

Comentários

Veja mais