Uber quer combater o enjoo em viagens nos veículos autónomos

Uber
Uber. (Reuters)

A Uber está a trabalhar num sistema capaz de eliminar o enjoo provocado nas viagens de automóvel, algo visto pela empresa como obstáculo para os passageiros de carros autónomos.

Segundo o jornal britânico The Guardian, a empresa já registou a patente de uma tecnologia estudada para combater o problema.

O "sistema de estimulação sensorial para veículos autónomos” tem como objetivo distrair os passageiros com feixes de luz, ecrãs e até jatos de ar direcionados à cara e outras partes do corpo.

"Com a chegada dos veículos autónomos, a atenção do condutor pode ficar focada em atividades alternativas, como trabalho, socialização, leitura, escrita, atividades baseadas em tarefas e similares", explicou a Uber.

“À medida que os veículos autónomos se conduzem a si próprios, a cinetose, ou enjoo resultante do movimento, pode ter origem no simples facto da percepção de movimento, obtido pelo passageiro, não corresponder àquela que é a sensação de balanço e espaço”, justificou a empresa.

Na verdade, o plano da Uber passa por criar um sistema capaz de estimular o passageiro proporcionando distrações. Por exemplo, os bancos podem vibrar em caso de travagem, ou "virar o banco” conforme o carro curva. A presença de "barras de luz" no teto ou portas, ou ecrãs no habitáculo terá como objetivo avisar os passageiros sobre as ações que o veículo pretende fazer.

Quanto aos “jatos de ar”, funcionam como estimulação passiva. Serão direcionados para a cabeça, ombros, tronco, braços, pernas ou os pés do passageiro.

"Quando o veículo estiver prestes a travar, o sistema de estimulação sensorial pode utilizar jatos de ar para modificar o fluxo da atmosfera do habitáculo”, explicou a Uber. "A estimulação pode treinar as respostas sensoriais para prevenir a cinetose", frisou.

Comentários

Veja mais