Operação Páscoa termina com mais vítimas que em 2017

| AM/AR - atualizada às 17:20
VÍDEO: Mais mortos, mais feridos e mais acidentes na "Operação Páscoa" da GNR

A GNR registou 1.010 acidentes, dos quais resultaram seis mortos, 19 feridos graves e 299 feridos ligeiros, na Operação Páscoa de patrulhamento e fiscalização rodoviária entre 29 de março e segunda-feira.

A GNR adianta que em igual período detetou 6.665 contraordenações, menos 1.537 que as registadas em período homólogo de 2017.

Das contraordenações detetadas constam 2.907 por excesso de velocidade, 286 por falta de inspeção periódica obrigatória, 243 relacionadas com iluminação e sinalização, 225 excessos de álcool no sangue, 218 por uso indevido do telemóvel, 193 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança ou sistema de retenção para crianças e 192 relacionadas com tacógrafos.

Durante o período da Páscoa, a GNR intensificou o patrulhamento nas estradas em todo o território nacional, com o objetivo de "apoiar os utentes das vias e de reduzir situações que configurem comportamentos de risco, privilegiando uma atuação preventiva e de grande visibilidade".

Mais de 100 mortos na estrada no 1º trimestre do ano

Mais de uma centena de pessoas morreram nos primeiros três meses do ano nas estradas portuguesas, uma subida relativamente ao período homólogo.

De acordo com a informação disponível no ‘site’ da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), até 31 de março morreram nas estradas portuguesas 113 pessoas, mais 15 do que no período homólogo.

As autoridades registaram nos primeiros três meses do ano 31.916 acidentes, mais 1.683 do que no período homólogo, 373 feridos graves (menos 59) e 9.041 feridos leves (mais 173).

Segundo a ANSR, Setúbal foi o distrito com mais vítimas mortais (21) nas estradas este ano, seguido dos distritos do Porto e Lisboa (13 cada). Já o distrito de Portalegre foi o único que não registou qualquer morte em acidente rodoviário.

Quanto aos acidentes, o distrito com maior número no primeiro trimestre do ano foi o de Lisboa (6.584), seguido do Porto (5.978), Aveiro (2.783) e Braga (2.763).

Os dados da ANSR indicam ainda que no último ano (entre 01 de abril de 2017 e 31 de março de 2018) os acidentes rodoviários provocaram 525 mortos, mais 92 do que no período homólogo, e 2.126 feridos graves (mais 49).

Os números da ANSR dizem respeito às vítimas mortais cujo óbito foi declarado no local do acidente ou a caminho do hospital.

Comentários

Veja mais