WTCC: o desenho de Vila Real segundo Tiago Monteiro

Tiago Monteiro
Tiago Monteiro

Na segunda-feira, as palavras de Tiago Monteiro já anunciavam a contagem decrescente para a etapa portuguesa do WTCC em Vila Real.

Nesta terça-feira, o site do Campeonato Mundial de Turismos também aproveita as palavras do piloto português da Honda para fazer o desenho do circuito português, quinta ronda do Mundial deste ano.

O relato feito no ano passado volta a ter toda atualidade quando já se entrou na semana do regresso aos 4.785 metros de pista em Vila Real, com subidas e descidas, umas curvas cegas e outras rápidas.

Assim analisava Tiago Monteiro no ano passado a pista onde acabou por ganhar a Corrida Principal:

«A subir desde o início é muito acidentada e fica plana na Curva 3. A primeira travagem é para a Curva 4, que é feita em quarta velocidade. É muito rápida de facto, mas muito cega, porque as barreiras são bastante altas e não se pode ver muito bem.

Desacelera-se um pouco para a Curva 5 e chega-se a um ponto de travagem importante e difícil porque a pista tem saltos, é acidentada com um baixo nível de aderência e reduz-se para segunda ou terceira velocidade para um importante ponto de aceleração e tração.

A Curva 7 é uma curva esquerda muito rápida, não plana, mas perto de plana com uma pequena elevação. É muito rápido a subir em direção ao que é para mim a parte mais bonita da pista, a longa sequência das Curvas 8, 9 e 10. É rápido, desafiador com um pouco de curva, o que dá mais aderência.

A nova chicane na Curva 11 devia ser um pouco mais rápida e mais ampla. É feita em segunda velocidade e a saída será muito importante porque se está a descer até à reta mais longa depois da rápida Curva 16 e até a Curva 17.

A travagem em descida para a Curva 18 é muito complicada e a parte mais difícil da pista. É acidentada, cega e rápida – tudo o que se quer, realmente! Também é uma travagem muito complicada para a chicane na Curva 19 porque ainda se está a descer.

A tração é muito importante porque as Curvas 21 e 22 são planas. A Curva 23 é outro ponto complicado porque se está a virar enquanto se está a travar, mas a saída é muito ampla, o que torna as Curvas 24 e 25 bastante fáceis. Mas a Curva 26 é complicada, a difícil chicane da rotunda, onde se está a travar e a virar ao mesmo tempo, uma das características da pista. Não há muita travagem direta em Vila Real e isso torna o carro muito instável em alguns lugares.

A Curva 29 não é usada no início, mas durante a corrida. É a curva mais lenta da pista e é importante conseguir uma boa tração na saída para a subida.»

Na classificação de Tiago Monteiro, «enquanto a pista é 3/5 porque os corretores não são assim tão difíceis, o nível para pilotos é definitivamente 5/5!» E, neste ano, vai haver mais uma novidade: a «joker lap».

A revisitação do WTCC à análise de Tiago Monteiro em 2016 é complementada com o vídeo dos momentos simbólicos da vitória do português em casa no ano passado.

Para este ano, é como se disse: a contagem decrescente já começou. Já há horários. E vai poder acompanhar todo o fim de semana do WTCC em Vila Real no Autoportal.

Comentários

Veja mais