PUB

Contornar a meteorologia: dicas para conduzir em segurança com mau tempo

  • Redação Autoportal
Condução sob chuva forte
Condução sob chuva forte
É altura de enfrentar as estações frias e chuvosas na estrada. E para conduzir em segurança nestas condições características destas épocas do ano é preciso ter cuidados especiais – para os quais alertamos a seguir

Com a chegada das estações frias e chuvosas, os perigos na estrada aumentam na proporção do mau tempo que se fizer sentir e os cuidados a ter para conduzir em segurança ganham também uma respetiva preponderância.

Além de uma condução mais defensiva, que as condições que as estradas apresentarem inevitavelmente obrigarão, há outros fatores associados a uma viagem o mais tranquila possível, desde a prevenção para perigos que possam surgir até à reação que é preciso ter quando o mau tempo prega partidas.

As condições atmosféricas habituais nas estações mais rigorosas do ano incluem perigos que vão desde as estradas inundadas, a conduzir com chuva e sobre pisos extremamente escorregadios passando pelas mais difíceis condições de visibilidade.

Desde logo, com a chegada do outono, os cuidados a ter na estrada aumentam devido às características da estação e os comportamentos para conduzir em segurança começam ainda antes de colocar o veículo em marcha. Com a ajuda da Seat, apontamos várias dicas que incluem aqueles ‘detalhes’ que terão ‘toda a importância.

Princípios básicos

-Verificar os pneus

Com o pavimento frio e molhado é fundamental fazer a verificação dos pneus tendo em conta a capacidade de travagem. O desgaste do piso do pneu não deve estar abaixo de 2 mm (e em nenhum caso deve ser inferior a 1,6 mm), pois pode perder-se completamente a tração ao conduzir numa superfície molhada a 90 km/h.

-Cuidado com o pavimento escorregadio

As folhas molhadas são tão escorregadias quanto a neve e, quando cobrem a estrada, deve evitar-se fazer travagens bruscas. A meio de uma curva não deve fazer-se movimentos bruscos da direção e, em caso de perda de aderência, também não deve forçar-se a direção até se retomar o controlo.

-A regra dos 3V: Visibilidade; Veículo em frente; e Velocidade

O nevoeiro, por exemplo, pode reduzir a visibilidade de forma significativa. Se se ficar com uma visibilidade de apenas 50 metros à frente, deve deixar-se essa mesma distância em relação ao veículo da frente e não ultrapassar os 50 km/h.

-Prevenir o efeito de encandeamento

Outra dica para conduzir em segurança com nevoeiro é aumentar a visibilidade com os faróis de nevoeiro e nunca com as luzes de máximos, pois, neste último caso, irá produzir-se um efeito no para-brisas enevoado que impedirá a visão do contorno dos veículos à frente.

-Garantir boa visibilidade com a chuva

Conduzir com os limpa para-brisas em mau estado poderá reduzir a visibilidade entre 20 e 30%. Os vidros devem estar sempre limpos para ser mais difícil que se embaciem e o aquecimento para as janelas também ajudará a evitar essa situação.

-Duplicar a segurança

Não é preciso chover para que o pavimento fique escorregadio, pois a humidade e as baixas temperatura podem fazer o mesmo. Deve-se redobrar a atenção nas zonas mais escuras, principalmente quando há curvas, e manter o dobro da distância de segurança em estradas molhadas. Além disso, é aconselhável tocar nos travões de vez em quando para secar a humidade das pastilhas e verificar a sua eficácia.

-Em aquaplanagem, não utilizar os travões

Com o piso molhado pode-se entrar em aquaplanagem e o veículo perderá a aderência ao deixar de ter contacto com o pavimento. Nessa situação, é muito importante não fazer força no travão até que as rodas voltem a ter contacto com o pavimento para, depois, corrigir a direção com movimentos suaves do volante.

-Aderência firme à roda quando está vento

O vento forte também pode ser um desafio para se conduzir em segurança na autoestrada. Deve reduzir-se velocidade e manter o volante seguro com um aperto firme ao ultrapassar camiões, pois, devido ao ‘screen effect’, a direção da viatura pode desestabilizar a capacidade de direção do veículo.

-Ligar os máximos quando for conveniente

Os dias ficam mais curtos nestas estações e conduz-se mais tempo já de noite. As luzes corretas são importantes e, sempre que não haja nevoeiro, as luzes de máximos podem ajudar a compensar a pouca visibilidade em algumas zonas. O cuidado para não interferir com a visibilidade dos veículos que circulem em sentido contrário deve ser mantido e este já é assegurado em alguns veículos com assistentes de máximos adaptativos mudando automaticamente para os médios.

Socorrendo-nos do trabalho da GEM Monitoring Assist na resposta a várias questões dos automobilistas para conduzir em segurança, partilhamos a seguir dicas para se saber o que fazer ao volante em situações de mau tempo, com dúvidas na primeira pessoa a terem respostas sobre chuva e inundações, nevoeiro e gelo. Pela parte da Jeep, incluímos o contributo em questões relacionadas com a condução com neve.

Conduzir com chuva e inundações

-Com que profundidade máxima de água se pode conduzir em segurança?

Conduzir através de qualquer profundidade de água pode ser perigoso. Até 15 cm, a água atingirá o fundo da maioria dos carros de passageiros. Acima desta profundidade, pode perder o controlo ou ficar com o motor empanado porque a água pode infiltrar-se pelo escape ou pelas entradas de ar.

-Como se pode reduzir o risco de ficar empanado?

Se estiver a conduzir um carro com caixa manual, empurre a embraiagem ligeiramente ao mesmo tempo que acelera. Isto ajudará o carro a rodar devagar e deverá manter a água fora do tubo de escape. Mantenha-se na mesma mudança através da inundação. Num carro com caixa automática, pode considerar manter o pé no acelerador utilizando a mudança mais baixa, mas controle a velocidade com o travão de pé.

-E se ficar empanado numa inundação?

Não tente ligar outra vez o carro, pois pode provocar danos consideráveis. Será preciso retirar os injetores ou as velas para limpar qualquer água que haja – por isso, o melhor é sair do veículo e ir para um local mais elevado, especialmente se a água estiver a subir. E depois contactar quem possa retirá-lo do local.

-O que devo fazer quando passei uma inundação?

Deve assegurar-se de que os travões estão a cumprir a sua função – seque-os travando de forma suave e conduzindo com calma durante alguns quilómetros.

Conduzir com nevoeiro

-O que é nevoeiro?

Nevoeiro é uma neblina densa que ou vem do mar ou irradia do chão. O nevoeiro forma-se quando a temperatura desce a um ponto em que o ar é saturado e vapor de água invisível fica condensado para formar gotículas de água suspensas.

-Por que é que conduzir através de nevoeiro é perigoso?

Primeiramente, porque se consegue ver muito pouco. Por isso, vá devagar, utilize faróis apontados ao chão ou luzes de nevoeiro, mas lembre-se de desligar os faróis de nevoeiro quando a visibilidade melhorar.

-Há alguma coisa que se possa fazer para continuar a conduzir em segurança quando o nevoeiro é denso?

Muito provavelmente, não. Pode descer o vidro da porta, numa tentativa de ouvir o que não conseguirá ver, mas não há uma forma mágica de aumentar a visibilidade.

-Deve usar-se as luzes traseiras do veículo à frente ou o traço central da via como pontos de referência?

Não. É perigoso seguir as luzes do veículo à frente pois pode ficar próximo de mais significando que pode ficar sem espaço para travar de repente. Pode seguir o limite da via como ponto de referência, mas não o centro.

-Se se vir outro veículo sem luzes, deve-se anotar a matrícula e fazer queixa?

Aconselha-se que se foque em manter-se a si e aos seus passageiros em segurança.

Conduzir com gelo

-Por que é chamado de gelo ‘negro’?

Principalmente, porque se mistura muito bem (demasiadamente bem, por sinal) com o pavimento da estrada. O gelo negro, de facto, não tem cor e é invisível acima do asfalto da estrada.

-Como saber que estou a conduzir sobre gelo negro?

Se sentir a direção leve, não vir marcas de pneus na frente da estrada e praticamente não ouvir barulho dos seus pneus.

-Se não se pode ver, como se pode detetar gelo negro?

Tome atenção ao termómetro do carro. O gelo negro forma-se quando a temperatura da superfície da estrada desce aos 0º Celsius ou menos. Mas a temperatura da superfície da estrada é de geralmente 3 ou 4º menor do que a temperatura do ar. É por isso que pode ficar alerta quando o termómetro do carro mostrar 3 ou 4º.

-Quando e onde é que é mais provável o gelo negro formar-se?

As alturas mais prováveis para a formação de gelo negro são por volta da madrugada e ao final da noite, quando as temperaturas estão geralmente no valor mínimo. Os locais mais comuns para o gelo negro são partes das estradas com sombra ou tapadas por árvores devido à falta de luz solar. As pontes gelam rapidamente, por isso, tenha particular cuidado.

-Que fazer apercebendo-nos de que estamos sobre gelo negro?

Manter a calma e deixar o carro passar sobre o gelo negro. Levante suavemente o pé do acelerador. Não trave e seja muito moderado com o volante. Se sentir que o carro está a começar a deslizar não tente contrariar. Lembre-se de que sobre o gelo o seu carro perderá tração.

Conduzir com neve

-Circular com velocidade reduzida e mudanças altas

Conduzir devagar é sempre boa ideia. Mas, na neve, é também melhor conduzir numa mudança alta.

-Ser dócil ao volante

Não faça movimentos bruscos: como guinadas com o volante, travar de repente, ou acelerações repentinas.

-Travar na neve

Lembre-se: em travagem na neve, travar com o motor só fará bem.

-Lidar com menor aderência

Ao guiar em neve, a aderência diminui pelo menos 10% em relação às condições normais. Se acabou de nevar, verifique a profundidade da neve para não ficar atolado.

-Distâncias de travagem são maiores

Tenha atenção às distâncias de travagem. Dependendo dos pneus, a distância de travagem pode aumentar em três vezes.

  • TEMAS:
  • Conduzir em segurança

  • Mau tempo

  • Chuva e nevoeiro

Veja mais