Fórmula E: nova temporada arranca cheia de novidades

  • Redação Autoportal
Fórmula E (Reuters)
Fórmula E (Reuters)

Um novo monolugar e a chegada de novos pilotos prometem tornar mais competitiva a Fórmula E

A temporada de 2019 da Fórmula E arranca já no fim de semana com a realização do ePrix de Ad Diriyah, na Arábia Saudita,  primeira prova das 13 corridas da temporada que vão ter lugar em 12 cidades de quatro continentes com a única ronda dupla, que terá lugar em Nova Iorque, a fechar a época

A temporada 2018/19 da Fórmula E marca a entrada em acção da nova geração do monolugar 100% elétrico, o Gen2, com inovações importantes.

Com um design atraente e futurista, que levou o monolugar a ser batizado de 'Batmóvel', o novo carro da Fórmula E para os próximos quatro anos, pesa 900 quilos; as baterias têm agora o dobro da capacidade e a potência máxima subiu dos 200Kw (270cv) para os 250 KW (335cv).

Desta forma, as trocas de carros durante a corrida deixam de ser necessárias graças ao aumento da capacidade das baterias para o dobro, o que permite que os pilotos realizem toda a corrida com o mesmo carro: ou seja, os 45 minutos e mais uma volta que vai durar cada corrida.

 A Fórmula E continua a fornecer os chassis e as baterias, mas as equipas têm que desenvolver todos os componentes da transmissão, desde a unidade de controlo electrónico (ECU), ao sistema de travagem e de regeneração, passando pelo motor eléctrico, diferencial e suspensão.

No novo monolugar passa agora a existir o Halo, que a exemplo da Fórmula 1 reforça a segurança dos pilotos e vai permitir, através de uma iluminação LED, transmitir informações sobre a potência do carro .

Outra das novidades para esta temporada são o ‘Attack Mode’ e o  ‘Fan Boost’. Trata-se aqui de um aumento de potência extra do monolugar, que no caso do ‘Attack Mode’ é ativado em determinada zona da pista para facilitar as ultrapassagens e permitindo ao piloto fazer uso de mais 25 kW de potência.

No entanto para utilizar esta potência adicional, a Fórmula E determinou que os pilotos vão ter de passar por uma zona mais lenta da pista denominada de 'Zona de Ativação' e perder tempo. 

Já no caso do ‘Fan Boost’, a Fórmula E volta a desafiar os fãs a votarem no seu piloto favorito e os cinco mais votados – até agora eram apenas os três mais votados – vão receber uma potência adicional de 25 kW por um certo período de tempo na segunda metade de cada prova. Os fãs vão poder votar até ao minuto 22 de cada corrida.

Em matéria de equipas, para além das já presentes – Jaguar, Mahindra, Virgin, Techeetah, Dragon, NIO e Venturi – junta-se este ano a Nissan que substitui a Renault, enquanto a BMW faz a sua entrada com estrutura própria a exemplo do que acontece com a Audi, enquanto a Mercedes vai continuar a trabalhar com a HWA.

A chegada de novos pilotos à competição deixa antever um crescimento competitivo da Fórmula E nesta temporada. Felipe Massa, Stoffel Vandoorne, Gary Paffett, Pascal Wehrlein, Alexander Sims e Maximilian Gunther, juntam-se a uma grelha de 22 pilotos onde está o português António Félix da Costa e com Jean-Éric Vergne a defender o título de campeão conquistado na última temporada.

As hostilidades da nova temporada arrancam neste fim de semana com a primeira corrida da temporada. O ePrix de Ad Diriyah terá lugar no sábado a partir das 12h00 de Portugal Continental. 

VEJA TAMBÉM:

  • TEMAS:
  • Fórmula E

  • António Félix da Costa

  • EPrix Arábia Saudita

Veja mais