Miguel Oliveira: "Temos a ideia clara do que precisamos de fazer na moto"

  • Redação Autoportal
Miguel Oliveira (Tech 3 KTM)
Miguel Oliveira (Tech 3 KTM)

Miguel Oliveira concluiu esta quinta-feira os primeiros testes de pré-temporada de MotoGP, depois de dois dias trabalho com a sua nova RC16 no circuito Ángel Nieto em Jerez.

O piloto português da Tech 3 KTM revelou um claro progresso face ao primeiro dia de testes, conseguindo retirar mais de um segundo ao tempo alcançado na quarta-feira, ao rodar em 1m40,577s, terminando a escassos 0,057s do seu companheiro de equipa Hafizh Syahrin.

"A adaptação foi muito mais rápida. Mesmo com os pneus usados rodei num ritmo bastante bom e isso deixa-me bastante feliz. Sei muito melhor como tirar partido da mota. Neste momento regulo-me um pouco pela distância de tempo para os outros pilotos da KTM. Estou a menos de um segundo do Zarco e fiz o mesmo tempo que o meu companheiro de equipa, que já tem um ano de experiência",  sublinhou Miguel Oliveira.

O piloto da Tech 3 KTM  não escondeu por isso a satisfação com o trabalho realizado nestes dois últimos dias de testes antes da longa pausa de inverno do MotoGP, reconhecendo que a equipa esta a realizar um bom trabalho.

“Neste último dia de testes, conseguimos dar um grande passo em relação ao trabalho da véspera e consegui retirar mais de um segundo ao meu melhor tempo. Estamos a compreender a moto e sabemos agora o que está a faltar”, reconheceu Miguel Oliveira.

O piloto português que em 2019 vai fazer a sua estreia na categoria rainha do mundial de velocidade, mostrou-se bastante satisfeito com o trabalho realizado em Jerez. “Estou feliz porque eu e a equipa conseguimos deixar estes testes com uma ideia clara do que precisamos fazer na moto e esse é o resultado mais positivos que levamos destes testes”, acrescentou o piloto da Tech 3 KTM.

Miguel Oliveira aproveitou estes dois dias de testes em Jerez para trabalhar "a entrega de potência" e a estabilidade, para além de continuar a adaptação ao estilo de condução das MotoGP, que segundo o piloto português "requer muito mais o uso do travão de trás".

Miguel Oliveira e os restantes pilotos do MotoGP regressam ao trabalho só em 2019, para os testes oficiais de pré-temporada, entre 6 e 8 de fevereiro no circuito malaio de Sepang.

VEJA TAMBÉM:

Comentários

Veja mais