MotoGP: Rossi mostra-se insatisfeito com o novo motor da Yamaha

  • Redação Autoportal
Valentino Rossi (Reuters)
Valentino Rossi (Reuters)

Valentino Rossi não está agradado com os desenvolvimentos que a Yamaha apresentou na sua moto nos testes de Valência na semana passada e que voltou a utilizar esta quarta feira em Jerez, no primeiro de dois dias de testes oficiais do MotoGP no circuito Ángel Nieto, naquele que será o último apronto das equipas antes da longa pausa de inverno.

O piloto italiano não foi além do 17.º melhor tempo no primeiro dia de testes em Jerez ao rodar em 1m39,564s, depois de ter ficado parado a meio da sessão devido a uma falha mecânica na sua Yamaha.

A marca nipónica trouxe para estes testes de pré-temporada dois novos motores, mas Rossi já fez saber que nenhum deles apresenta "a melhoria que a equipa precisa para ser competitiva".

Para o nove vezes campeão do mundo, "o problema é que continuamos sem avançar. Sinto os mesmo problemas que evidenciamos ao longo da época que terminou. Não temos ritmo”.

Valentino Rossi não escondeu no final da sessão de testes desta quarta-feira algum desalento pelo resultado alcançado. "Na classificação geral eu estou muito atrás, porque tive um problema mecânico quando estava a rodar com pneus novos, o que me impediu de realizar uma volta rápida, mas fora isso, não temos ritmo e isso é o mais importante já que não conseguimos ser rápidos”.

Rossi acrescentou ainda que os problemas da moto evidenciados ao longo da temporada de 2018, incluindo o desgaste dos pneus, não foram corrigidos e por isso a Yamaha está mais lenta que a Ducati e a Suzuki com pneus usados.

"É certo que com pneus novos somos rápidos, o Maverick Viñales foi muito rápido, tal como o Franco Morbidelli, mas depois de algumas voltas, todas as motos da Ducati e da Suzuki conseguiram revelar um ritmo melhor. Se tivéssemos corrida amanhã seria certo que não estávamos na luta pela vitória", acrescentou Rossi.

Comentários

Veja mais