Toyota com dobradinha nas 24h de Le Mans e Alpine fecha o pódio

  • Redação Autoportal
  • 22 ago, 20:05
Toyota Gazoo Racing Le Mans 2021
Toyota Gazoo Racing Le Mans 2021

Representantes portugueses tiveram bastante azarados nesta edição

A Toyota Gazoo Racing venceu a 89ª edição das 24h de Le Mans na estreia dos Hypercar em La Sarthe, com o carro nº 7 de José Maria Lopez, Mike Conway e Kamui Kobayashi a cruzar a linha de meta em primeiro, depois de liderar praticamente durante toda a prova.

Também a Alpine e a Glickenhaus fizeram provas muito regulares, mas a Toyota foi sempre intransponível à medida que ia aumentando vantagem para os perseguidores.

PUB

Ainda assim o Alpine Elf Matmut A480 (nº 36) pressionou o Toyota nº 07 nas primeiras voltas, mas a chuva e um peão de Nicolas Lapierre (que fez equipa com Matthieu Vaxiviere e André Negrão), acabaram por fazer perder algum terreno, tendo a equipa francesa conseguido recuperar até ao 3º lugar que iria manter até ao final da prova.

 

Para a Alpine ficou a ideia de que a corrida poderia ter corrido melhor não fossem algumas bandeiras amarelas – que na verdade tiraram cerca de 1h30 de corrida – até porque os tempos por volta do A480 não eram muito diferentes dos Toyota.

Para os representantes portugueses esta foi uma prova completamente para esquecer.

PUB

Os pilotos portugueses na LMP2 – a segunda categoria de Le Mans - não tiveram a sorte do seu lado.

António Félix da Costa, no Jota nº 38, partia com forte ambição, com a pole conseguida e Filipe Albuquerque, na United Autosports com o carro nº22, apesar de uma qualificação menos conseguida (partia de 12º) não escondia a vontade de ir mais longe.

Félix da Costa arrancou muito bem e até fez tempos melhores em pista molhada do que os Hypercar. Mas quando o piloto da Jota foi à box trocar com Anthony Davidson, seu colega de equipa, este, com um erro, atirou o carro para a gravilha e estragou por completo a prova à equipa.

PUB

Ainda assim a equipa tentou recuperar, mas à quinta hora de prova uma fuga de óleo obrigou a uma paragem de mais de meia hora, o que comprometeu definitivamente as hipóteses da equipa de Da Costa de lutar pela vitória, tendo a equipa terminado em 8º da categoria.

Quando faltavam 5 horas, as opiniões da equipa nas redes sociais

 

Filipe Albuquerque demorou algum tempo a iniciar a recuperação, mas ao longo da noite conseguiu chegar a terceiro na sua categoria. No entanto o esforço da noite acabou com um problema no alternador do Oreca da equipa do português e, depois de uma paragem de mais de uma hora, a equipa viu-se completamente arredada de qualquer lugar de destaque, terminando no 18º lugar dos LMP2.

PUB

A vitória na classe LMP2 acabou nas mãos do carro nº 31 da WRT, com Robin Frijns, Ferdinand Habsburg e Charles Milesi, isto, depois do WRT nº 41 que liderou grande parte da corrida nesta classe ter ficado parado em pista na última volta.

O luso-angolano Rui Andrade também não foi feliz nesta participação tendo acabado contra o muro por volta da meia noite e não tendo sido possível à equipa continuar.

 

 

Em LMGTE Pro a Pole Position foi para o Porsche da Hub Auto nº 72 de Álvaro Parente, mas problemas iniciais relegaram-no para a última posição até desistir no domingo.

O vencedor desta categoria acabaria por ser o Ferrari nº 51 (Alessandro Pier, James Calado e Côme Ledogar)

Em LMGTE AM o Ferrari nº83 da AF Corse (François Perrodo, Nicklas Nielsen e Alessio Rovera) ficou com o primeiro lugar não dando hipóteses à concorrência.

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

Alpine faz história em Le Mans com Fórmula 1 a correr na pista principal

Vídeos das vitórias da Alpine em Le Mans em 1978 e 2019

24h Le Mans: Pole Position para Félix da Costa em LMP2 com Kobayashi a garantir a geral

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS