À terceira foi de vez para Elisabete Jacinto

  • Redação Autoportal
Elisabete Jacinto (Africa Eco Race)
Elisabete Jacinto (Africa Eco Race)

Elisabete Jacinto venceu o Africa Eco Race e em 2019 cumpriu o sonho que tinha há mais de década e meia: chegar a Dakar com o seu camião como primeira classificada.

Depois dos dois segundos lugares consecutivos em 2011 e 2012, à terceira foi de vez para a piloto portuguesa, que levou finalmente o MAN TGS com o navegador José Marques e o mecânico Marco Cochinho ao primeiro lugar do pódio.

Foram 13 dias desde o arranque em Marrocos até à consagração deste domingo em Dakar, no Senegal – com os últimos oito de nove sempre no primeiro lugar e, desde a primeira etapa, sempre no pódio.

Se nos dois primeiros dias, Elisabete Jacinto se colocou como a segunda melhor entre os camiões, foi também à terceira etapa – ainda em Marrocos – qua piloto portuguesa subiu pela primeira vez à liderança da prova.

À quarta etapa, a equipa portuguesa perdeu comando para o Tatra de Tomas Tomecek, mas, logo no dia seguinte, voltou ao comando dos T4 para entrar na Mauritânia como líder. O arranque naquele país fez-se a dois tempos devido à anulação da sexta etapa, mas, quando o Africa Eco Race voltou a rodar, Elisabete jacinto foi cavando vantagem atrás de vantagem para reforçar o primeiro lugar.

No sábado, a vitória estava confirmada com 1h41m07s de vantagem sobre o belga Noel Essers (MAN), depois de 48h07m52s cronometrados nas 10 etapas realizadas neste Africa eco Race. Depois também de vitórias dos ralis de Marrocos e Tunísia, o ponto mais alto estava atingido, como Elisabete Jacinto o referiu no sábado.

“Só tinha de chegar ao fim e o meu objetivo seria atingido. Saboreei todas as curvas, todas as passagens de caixa, todas as travagens... todas as notas do navegador. Saboreei todas as sacudidelas do TGS como se fossem caricias! A meta em breve estaria à minha frente e terminaria em primeiro dos camiões.... concretizando assim um sonho antigo. O de me impor em termos de qualidade de condução.”

Neste domingo, a 12.ª e última etapa no Lago Rosa, com os seus quase 22 km para contemplação da caravana fechou a página de um capítulo que Elisabete Jacinto escreveu ao longo de 16 anos.

Comentários

Veja mais