MotoGP: diretor desportivo campeão do mundo sai e deixa Suzuki em “choque”

  • Redação Autoportal
  • 7 jan, 13:43
Manuel Luís Goucha e Vasco Palmeirim

Davide Brivio decidiu aceitar outro desafio e não renovou contrato

Davide Brivio deixou a Suzuki e a equipa campeã do mundo ficou em estado de “choque”. O diretor desportivo italiano não renovou o contrato depois de em 2020 ter levado a Suzuki ao título mundial de Equipas e de Pilotos com Joan Mir.

Brivio estava na Suzuki desde 2013 e decidiu, como relata o MotoGP, abraçar agora um novo desafio.

“Um novo desafio profissional e uma nova oportunidade apareceram-me subitamente e, no final, decidi aceitá-los. Foi uma decisão difícil. (...) Obter um título de MotoGP é algo que ficará nos livros de história da Suzuki e terá sempre um lugar especial nas minhas memórias de vida. (...) O joan tornar-se campeão mundial foi um sonho tornado realidade para mim e para todos os que trabalharam muito e me acompanharam nesta jornada magnífica.”

A erquipa tenta agora recuperar do estado de “choque” em que ficou, como reconheceu o responsável máximo da Team Suzuki Ecstar, Shinichi Sahara.

“Sinceramente, a saída do Davide foi um choque para nós. É como se me tirassem um bocado de mim porque sempre discuti com ele como desenvolver a equipa e as motos e trabalhámos juntos muito tempo.”

Sahara tenta refazer-se do impacto e o que se segue é “encontrar a melhor forma de colmatar a perda” do diretor desportivo italiano, a quem deseja “a melhor sorte para o futuro”.

RELACIONADOS

As marcas que o MOTOGP deixou em 2020

MotoGP: Brno está fora do calendário de 2021 e regresso a Portugal ganha força

COMPUTADOR DE BORDO

Fique a saber como são as novas cartas de condução

Descontos nas portagens das ex-Scut de Algarve e Interior vão até aos 55%

Largue o telemóvel: conheça as alterações ao Código da Estrada

VEJA MAIS

MAIS LIDAS