F1: calendário de 2022 fica reduzido a 22 corridas

  • Redação Autoportal
  • 18 mai, 14:17
Autódromo de Sochi (Lusa)
Autódromo de Sochi (Lusa)

GP da Rússia não vai ser substituído

A Fórmula 1 anunciou que o calendário do Mundial de 2022 vai ficar em definitivo com 22 corridas em vez das 23 inicialmente previstas no início do ano.

A redução para menos uma prova do que as que estavam previstas decorre da decisão de não substituir o GP da Rússia, que foi cancelado depois da invasão da Ucrânia.

PUB

O Mundial de F1 segue no próximo fim de semana, de 20 a 22 de maio, com o GP de Espanha que será a sexta prova da época.

Assim fica o calendário definitivo de 2022:

20 de março, GP do Bahrain (Sakhir) – Vencedor: Charles Leclerc (Ferrari)

27 de março, GP da Arábia Saudita (Jeddah) – Max Verstappen (Red Bull)

10 de abril, GP da Austrália (Melbourne) – Charles Leclerc

24 de abril, GP da Emilia Romagna (Imola) – Max Verstappen

8 de maio, GP de Miami (Miami) – Max Verstappen

22 de maio, GP de Espanha (Barcelona)

29 de maio GP do Mónaco (Mónaco)

12 de junho, GP do Azerbaijão (Baku)

19 de junho, GP do Canadá (Montreal)

3 de julho, GP da Grã-Bretanha (Silverstone)

10 de julho, GP da Áustria (Spielberg)

PUB

24 de julho, GP de França (Le Castellet)

31 de Julho, GP da Hungria (Budapeste)

28 de agosto, GP da Bélgica (Spa)

4 de setembro, GP dos Países Baixos (Zandvoort)

11 de setembro, GP de Itália (Monza)

25 de setembro, GP da Rússia (Sochi)

2 de outubro, GP de Singapura (Singapura)

9 de outubro, GP do Japão (Suzuka)

23 de outubro, GP dos EUA-Austin (Austin)

30 de outubro, GP do México (Cidade do México)

13 de novembro, GP do Brasil (São Paulo)

20 de novembro, GP de Abu Dhabi (Abu Dhabi)

Continuar a ler

RELACIONADOS

Fórmula 1 cancela o GP da Rússia

F1: Verstappen ganha o GP de Miami à frente de Leclerc

Fórmula 1 chega a Las Vegas e as corridas vão ser à noite

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS