F1: FPAK admite “negociações avançadas para haver GP de Portugal”

  • Redação Autoportal
  • 12 jan, 18:50
Manuel Luís Goucha e Vasco Palmeirim

Ni Amorim está otimista quanto à possibilidade de Portugal voltar a acolher a F1 em 2021

O presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), Ni Amorim, admitiu esta terça-feira que Portugal pode voltar a receber a F1, pelo segundo ano consecutivo.

"Há negociações avançadas para haver GP de Portugal de Fórmula 1 a 2 de maio", revelou o presidente da FPAK em declarações à agência «Lusa».

O responsável máximo do automobilismo em Portugal lembrou, no entanto, que a realização da prova "vai depender de dois fatores", a vontade do Governo e a possibilidade da presença de público.

"Haver público, pois só faz sentido com público nas bancadas, e se o Estado português quiser", acrescentou Ni Amorim.

Ao contrário do que aconteceu em 2020, em que Portugal entrou no calendário do Mundial de F1 por convite do organizador devido ao cancelamento de diversas provas devido à pandemia de covid-19, em 2021 será necessário pagar uma taxa de inscrição.

“É preciso pagar, sim. A F1 não se mexe de borla. O GP de Portugal em 2020 deu um retorno extraordinário e os dados já estão na posse do Governo. Mas entendemos que neste momento há outras prioridades e ainda não foi possível discutir o assunto", adiantou o presidente da FPAK, que não revelou o valor a pagar para receber a F1.

Ni Amorim, lembrou ainda que os responsáveis do Autódromo Internacional do Algarve (AIA), estão "em contacto diário com o promotor do campeonato", e por isso mostra-se "otimista" quanto à possibilidade de a Fórmula 1 regressar a Portugal pela 18.ª vez, a segunda consecutiva a Portimão.

RELACIONADOS

F1: testes de pré-temporada confirmados para março no Bahrain

Mundial de F1 com calendário revisto arranca no Bahrain

F1: promotor do GP da China quer adiamento da prova e Portugal ganha força

COMPUTADOR DE BORDO

Fique a saber como são as novas cartas de condução

Descontos nas portagens das ex-Scut de Algarve e Interior vão até aos 55%

Largue o telemóvel: conheça as alterações ao Código da Estrada

VEJA MAIS

MAIS LIDAS