PUB

Pirelli encontra a razão para o drama dos pneus no GP da Grã-Bretanha

  • Redação Autoportal
Lewis Hamilton (Lusa)
Lewis Hamilton (Lusa)
Hamilton, Bottas e Sainz foram vitimas do desgaste dos pneus

A Pirelli já concluiu o processo de investigação as causa dos furos que aconteceram no GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1 do último fim de semana.

Em comunicado a Pirelli revelou que a razão principal para os furos que afetaram nas últimas três voltas, Valtteri Bottas (Mercedes), Carlos Sainz Jr. (McLaren) e Lewis Hamilton (Mercedes), foram o uso longo do segundo jogo de pneus.

“A razão principal são as circunstâncias individuais desta corrida, que levou ao uso extremamente longo do segundo jogo de pneus. O segundo safety-car levou a que quase todas as equipas antecipassem a entada nas boxes dos seus pilotos para a troca de pneus, o que levou a um stint longo, cerca de 40 voltas, que é mais de três quartos do total da corrida, numa das pistas mais desafiantes do calendário”, explicou a Pirelli

A mesma nota adianta ainda que a decisão de fazer muitas voltas com o segundo jogo de pneus acabou por ser um desafio.

O resultado foi uma das condições mais desafiantes para os pneus. Isso fez com que o pneu dianteiro esquerdo (aquele que sofre mais em Silverstone) fosse colocado tensão pressão máxima após um elevado número de voltas, resultando numa elevada degradação, levando a menos proteção das forças”, acrescenta a nota do fabricante de pneus.

A Pirelli aproveita ainda o comunicado para confirmar que os pneus para a corrida do próximo fim de semana vão ser mais macios, mas a pressão mínima vai ser aumentada.

“Para a segunda corrida em Silverstone, a Pirelli confirma que os compostos a ser utilizados são: C2, C3 e C4, sendo mais macios do que aqueles que foram utilizados na última corrida”.

  • TEMAS:
  • Fórmula 1

  • GP da Grã-Bretanha

  • Pirelli

Veja mais