GP de Doha: Miguel Oliveira começa a meio gás

  • Redação Autoportal
  • 2 abr, 14:58
Miguel Oliveira (KTM)
Miguel Oliveira (KTM)

Piloto português demorou a sair para a pista, mas ainda acabou por fazer 16 voltas

Miguel Oliveira começou a meio gás os Treinos Livres pata o GP de Doha, a segunda prova do Mundial de MotoGP, pois o piloto português da KTM não só demorou mais do se que poderia esperar a sair para pista para os TL1 desta sexta-feira, como fez um tempo ligeiramente mais lento do que na sessão correspondente da semana passada.

Pela segunda semana seguida no Circuito de Losail, Miguel Oliveira rodou nesta primeira sessão para o GP de Doha em 1m55.770s na sua melhor volta – fazendo mais 25 milésimos de segundo do que tinha feito há uma semana nos TL1 para o GP do Qatar – registando o 15.º tempo da sessão.

PUB

O piloto português demorou, inclusive, cerca de um quarto de hora até sair para a pista, com os seus mecânicos a terem visível trabalho com a sua KTM até que o Falcão pudesse fazer as primeiras voltas.

Oliveira acabou, não obstante, por conseguir fazer um total de 16 voltas tendo feito o seu melhor registo à quinta passagem e terminando a sessão a menos de 1 segundo – 0.991s – do mais rápido, que foi Aleix Espargaró.

PUB

O piloto espanhol da Aprilia rodou em 1m54.779s liderando o trio que, neste sexta-feira, já conseguiu fazer melhores tempos do que o mais rápido dos TL1 correspondentes da semana passada – que tinha sido feito por Franco Morbidelli (SRT Yamaha), com 1m54.921s.

Tempos dos TL1 do GP de Doha:

Os Treinos Livres do GP de Doha de MotoGP continuam na tarde desta sexta-feira (já noite no Qatar) com os TL2.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Miguel Oliveira: “Queremos fazer melhor do que no fim de semana anterior”

MotoGP sem parar: os horários do GP de Doha

GP do Qatar: Viñales conquista a vitória e Oliveira é 13.º

COMPUTADOR DE BORDO

Saiba como deve circular em rotundas de forma correta

Fique a saber como são as novas cartas de condução

Descontos nas portagens das ex-Scut de Algarve e Interior vão até aos 55%

VEJA MAIS

MAIS LIDAS