Hamilton vence em Imola e a Mercedes é heptacampeã | AUTOPORTAL
PUB

Hamilton vence em Imola e a Mercedes é heptacampeã

  • Redação Autoportal
Lewis Hamilton (Lusa)
Lewis Hamilton (Lusa)
Fómula 1 regressou a Imola para a 13.ª prova da temporada

Lewis Hamilton venceu neste domingo o GP da Emilia Romagna de Fórmula 1, a 13.ª prova da temporada, e deu mais um passo rumo ao seu sétimo título mundial.

A Mercedes já conseguiu na prova de hoje tornar-se a primeira equipa na história da F1 a ganhar sete mundiais de Construtores consecutivos.

Valtteri Bottas foi o segundo classificado na corrida de Imola e Daniel Ricciardo foi o terceiro colocado.

Este foi o final que resultou de um grande prémio com muitas histórias no regresso da F1 a Imola 14 anos depois. Se a Mercedes rejubilou com a glória inédita e Hamilton é o expoente individual deste fim de semana, Bottas só no plano da equipa pôde viver o clima e festa, pois, a nível individual, ao finlandês calhou uma das ‘favas’ reservadas para este domingo.

Bottas partiu da pole position e partiu muito bem segurando o primeiro lugar à frente de Max Verstappen, que ganhou no arranque a segunda posição a Hamilton. Numa primeira volta com Daniel Ricciardo a ganhar a frente em relação ao ‘comboio dos outros’, as lutas pelas posições no arranque causaram alguns estragos no final do pelotão que viriam a ter consequências para a frente da Corrida.

A ‘fava’ de Valtteri Bottas estava logo ali à espera do finlandês à passagem da primeira volta, pois o que terá sido um resultado de um toque entre Sebastian Vettel e Kevin Magnussen deixou detritos na pista que Bottas foi o primeiro a colher passando a ter agarrado ao fundo do seu carro uma peça que deverá ser do Ferrari.

Bottas acaba assim por partir ma frente, mas ‘coxo’ e sem nunca conseguir distanciar-se de forma significativa do Red Bull de Verstappen. E sabendo-se que Hamilton se reservava no terceiro lugar, por enquanto, à espreita. Numa pista em que se verificou que a velocidade de ponta era essencial para ganhar lugares, ao holandês foi faltando conseguir ter a potência exigida para atacar a posição de Bottas.

A Red Bull jogou a cartada da troca de pneus ainda antes de se chegar ao terço das 63 voltas marcadas. Verstappen foi o primeiro dos três da frente a trocar os médios da partida para os duros. A Mercedes respondeu na mesma Volta 19 com Bottas a fazer troca igual. Hamilton passou para frente.

Na liderança da Corrida, o campeão o mundo retardou a ida à box e fez os seus pneus médios renderem o máximo conseguindo aumentar a vantagem para os seus os perseguidores para um tempo que já estava no patamar de uma paragem na box sem perder o comando da Corrida. A estratégia de Hamiton acabaria ainda, para além disso, por ser coroada com o que costuma ser chamado de ‘estrelinha de campeão’.

À Volta 30, o abandono de Esteban Ocon ‘estacionando’ o Renault na relva proporcionou um Virtual Safety Car que ‘caiu do céu’ para Hamilton permitindo que trocasse os seus médios pelos duros com total garantia que de voltava como líder depois da paragem. Fê-lo com 3 segundos de vantagem sobre Bottas e com metade da prova para preparar a vitória.

A prova do finlandês passou mesmo em estar mais virada para a defesa do segundo lugar em relação a Verstappen do que em outras ambições face ao seu companheiro e equipa. A juntar às condicionantes no seu carro, Bottas juntou um erro que o fez alargar a traket+oria para fora de pista e o holandês da Red Bull não desperdiçou a oportunidade para conquistar a segunda posição.

A cerca de dezena e meia de voltas do final, os lugares do pódio pareciam poder estar definidos, com o Racing Point de Sérgio Pérez a suceder-lhes no ‘triunfo’ sobre os que ficavam de fora da cerimónia de entrega de troféus, no culminar da grande corrida que o mexicano, Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat foram fazendo.

Mas ainda houve bastante para ser acrescentado. A roda traseira direita de Verstappen rebentou e o Red Bull ficou de fora obrigando à entrada do Safety Car. Este acabou por ficar mais voltas em pista devido ao despiste de George Russell e durante estas voltas todas, a ‘nova’ luta pelo terceiro lugar ficou determinada pelas idas (ou não) às boxes.

Na frente, Hamilton seguiu para a vitória após o recomeço da corrida, com Bottas no segundo lugar. Sem ter ido à box durante o Safety Car, Ricciardo acabou por sair para o recomeço no terceiro lugar, que manteve até final para fazer um ‘shooey’ com Hamilton no pódio.

Pérez teve ordens da equipa para ir à box e acabou por cair posições que já não conseguiu recuperar acabando por perder pontos para os dois adversários direto na luta pelo quarto lugar do Mundial de Pilotos.

Com o abandono deste domingo, Verstappen deixou Bottas como o único que, a quatro provas do final, pode ainda matematicamente impedir o sétimo título de Pilotos para Hamilton. Mas o campeão mundial em título pode igualar o ‘hepta’ Michael Schumahcer já na próxima corrida com um segundo lugar – mesmo que Bottas ganhe, mas desde que o finlandês não some o ponto da volta mais rápida.

O Filme da Corrida

Classificação do GP da Emilia Romagna:

Classificação do Mundial de Pilotos;

1. Lewis Hamilton (Mercedes), 282 pontos

2. Valtteri Bottas (Mercedes), 197

3. Max Verstappen (Red Bull), 162

4. Daniel Ricciardo (Renault), 95

5. Charles Leclerc (Ferrari), 85

6. Sergio Pérez (Racing Point), 82

(...)

Classificação do Mundial de Construtores:

1. Mercedes, 479 pontos – CAMPEÃ

2. Red Bull, 226

3. Renault, 135

4. McLaren, 134

5. Racing Point, 134

6. Ferrari, 103

(...)

O Mundial de Fórmula 1 prossegue no fim de semana de 13 a 15 de novembro co o GP da Turquia.

[artigo atualizado]

  • TEMAS:
  • Gp emilia romagna

  • Formula 1

  • Ao vivo

Veja mais