Hamilton: “Não vou estar cá quando houver 25 corridas, isso é garantido”

  • Redação Autoportal
Lewis Hamilton (Reuters)
Lewis Hamilton (Reuters)

Lewis Hamilton é contra a tendência que tem vindo a verificar-se de aumentar o número de corridas do Mundial de Fórmula 1. O piloto inglês da Mercedes, contrariamente ao que tem vindo a acontecer, defende uma redução do número de provas.

Em 2017, o Mundial de F1 tinha 20 corridas. Neste ano passou a ter 21, que serão as mesmas em 2019. Mas, no próximo ano, o calendário estende-se mais um pouco começando logo a 17 de março e alongando-se até 1 de dezembro – quando era habitual não só começar uns dias mais tarde como ficar por novembro.

Hamilton reprova a tendência: “Para ser honesto, já parece que estamos com 25 [corridas] neste ano. Por isso, pessoalmente, não penso que seja bom.” Em declarações reproduzidas pelo «Motorsport.com», o campeão do mundo afirmou que devia haver “menos” provas: “Não sei, provavelmente 18 fosse o melhor...”

O inglês afirma que o “compromisso” pedido aos pilotos já é “longo”, assim com o é o “tempo longe da família”. “As épocas ficam maiores e o tempo de descanso está a ficar mais curto”, aponta o piloto da Mercedes: “Até começamos a preparar a próxima temporada assim que a época acaba. Isso é muito, muito difícil.”

“E depois temos de encontrar uma forma de desligar e recuperar ao mesmo tempo, por isso, muito provavelmente, eu não vou estar cá quando chegar às 25 [corridas], isso é garantido”, afirmou Hamilton.

VEJA TAMBÉM:

Fórmula 1: os horários do GP do Brasil

Comentários

Veja mais