MotoGP: Viñales não chega ao fim do contrato e deixa a Yamaha no final do ano

  • Redação Autoportal
  • 28 jun, 10:02
Maverick Viñales (Lusa)
Maverick Viñales (Lusa)

Piloto espanhol deixa a equipa japonesa ao final da quinta época

Maverick Viñales vai deixar a equipa de MotoGP da Yamaha no final deste ano quando ainda tinha contrato até final de 2022. A decisão comunicada pela estrutura japonesa em comunicado foi tomada por mútuo acordo depois do pedido do piloto espanhol para sair.

“A Yamaha e Maverick Viñales decidiram mutuamente terminar no final desta época o seu atual acordo para 2021-22. No seguimento pedido de Maverick Viñales, a Yamaha concordou em antecipar o final do atual contrato de dois anos. Atualmente na quinta época juntos, decidiram mutuamente seguir caminhos separados depois deste ano. Ambas as partes estão comprometidas em pôr o máximo esforço no que resta da época 2021 de MotoGP e terminar a relação em alto registo.”

PUB

Maverick Viñales cumpre atualmente, aos 26 anos, a sétima temporada na categoria rainha do motociclismo. Depois de um título mundial no Moto3 em 2013 e da subida no ano seguinte ao Moto2, Vinãles chegou ao MotoGP em 2015 para fazer dias temporadas com a Suzuki.

Em 2017, o piloto natural de Figueres mudou-se para a equipa principal da Yamaha onde, até agora, conseguiu como melhores resultados dois terceiros lugares no Mundial (1017 e 2019). No presente campeonato, Viñales venceu a prova de abertura, no Qatar, e ocupa o sexto lugar com 95 pontos (logo à frente de Miguel Oliveira, com 85) estando a 61 pontos de distância do líder, o seu companheiro de equipa, Fabio Quartataro.

PUB

“Esta parceria tem tido muito significado para mim ao longo dos últimos cinco anos e foi uma decisão difícil separarmo-nos. Nestas épocas juntos, passámos por grandes conquistas e tempos difíceis. O sentimento subjacente, porém, é o de consideração e respeito mútuos. Estou totalmente empenhado e lutarei por conseguir os melhores resultados para o resto da época”, disse Viñales.

PUB

O diretor da Yamaha, Lin Jarvis, explicou que a separação começou a ganhar forma no GP da Alemanha desta temporada na semana passada.

“É com tristeza que dizemos adeus ao Maverick no final do ano. Estamos a maio da nossa quinta época juntos e ao longo dos anos conseguimos muitas coisas boas, mas também gerimos muitas más. Depois do GP da Alemanha, que foi o fim de semana mais difícil da nossa parceria, tivemos conversas importantes em Assen e chegámos à conclusão de que seria do interesse de ambas as partes irmos por caminho separados no futuro. A Yamaha colocará o seu máximo esforço – como sempre fez – em dar o seu apoio ao Maverick e terminar esta época da melhor forma possível.”

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

Miguel Oliveira terminou em 5º lugar no Moto GP de Assen e mantém a 7ª posição do mundial

Miguel Oliveira sempre no Top 5 nas últimas 4 corridas de Moto GP

COMPUTADOR DE BORDO

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

Atenção às datas de revalidação de carta de condução. Faça tudo online e poupe 10%

VEJA MAIS

MAIS LIDAS