GP da China: ‘acordo de cavalheiros’ falhou e Verstappen desata aos palavrões

  • Redação Autoportal
Max Verstappen (Lusa)
Max Verstappen (Lusa)

O final da Qualificação para o GP da China de Fórmula 1 terminou de forma agitada com Max Verstappen à cabeça, a queixar-se de outros pilotos pelo desrespeito de um ’acordo de cavalheiros’ que existirá no pelotão.

E as queixas ouvidas foram não só perfeitamente audíveis como irreproduzíveis na íntegra sem uma censura prévia tal foi a quantidade de palavrões proferidos pelo holandês da Red Bull.

As queixas decorreram do facto de alguns, com Sebastian Vettel na linha da frente, a ‘furarem’ o comboio em que seguiam os pilotos já na reta final da Q3.

O tempo escasseava e o holandês foi um dos pilotos que foi ultrapassado no comboio lento de monolugares que procuravam dar início à última volta cronometrada. Tendo ficado para trás numa ordem que esperava não ser desrespeitada, Verstappen acabou por ver-se sem tempo para fazer a sua última volta quando chegou a sua vez de acelerar – atrás dos outros que acabaram por seguir primeiro e antes de cair a bandeira de xadrez... e ele não...

Ao aviso dado pelo engenheiro da Red Bull de que tinha de passar a meta rapidamente, Verstappen já respondeu depois da bandeirada e não foi meigo na reação: “Sinceramente, são uns frouxos. Todos a alinharem-se e eles simplesmente a f**** tudo. Tentamos ser porreiros, mas estão simplesmente a f**** isto.”

À comunicação rádio que foi ouvida na Q3, o «Motosport.com» acrescentou as declarações de Verstappen ao canal holandês «Ziggo Sport» sobre o código de conduta tácito.

“Nós estávamo-nos a manter uns atrás dos outros, mas, a dada altura, o Vettel passou-me e os dois Renault também. Eles f****** toda a minha preparação ao mesmo tempo que há uma regra não escrita que devemos seguir atrás uns dos outros”, afirmou Verstappen.

E, agora, o holandês promete responder na mesma moeda: “A partir de agora, na qualificação também vou f+++-+++.”

Veja mais