Pirelli explica “duelo estratégico fantástico” entre Verstappen e Hamilton em Austin

  • Redação Autoportal
  • 25 out, 19:18
Análise Pirelli do GP dos EUA de F1
Análise Pirelli do GP dos EUA de F1

Fabricante de pneus analisa momentos chave para a vitória do holandês

A batalha travada entre Max Verstappen e Lewis Hamilton no GP dos EUA de Fórmula 1 teve muito de tática e de gestão de pneus e, no rescaldo de uma grande corrida com incerteza até final quanto ao vencedor – como destácamos aqui – , a Pirelli, como fornecedora dos pneus da competição veio também fazer a sua análise do que classificou como “duelo estratégico fantástico” entre os dois candidatos ao título de campeão mundial.

A Pirelli considera que “Max Verstappen venceu uma intensa corrida tática” com uma estratégia de duas paragens para colocar em ambas os pneus duros depois de partirem com os médios. A fabricante italiana revela que houve “altos níveis de desgaste e de degradação” dos pneus num circuito com “superfícies mais agressivas e um primeiro setor muito rápido”, como frisou Mario Isola, o responsável da marca para a F1.

PUB

"O nível de desgaste dos pneus foi elevado tal como esperávamos, o que levou quase todos os pilotos a escolherem o pneu médio para começar a corrida e, de seguida, se focassem na opção dura. Uma opção que deu uma ótima resposta às exigências do circuito, com alguns stints longos que propiciaram um final de corrida emocionante entre os principais protagonistas do campeonato."

PUB

Com uma corrida a iniciar-se com 31 graus de temperatura ambiente e 39 graus de temperatura de pista, Max Vesrtappen perdeu a vantagem da pole position para Hamilton logo na partida e a Pirelli considera que o ‘undercut’ feito pelo piloto da Red Bull “na perfeição” foi um dos “momentos chave” para o seu triunfo – o holandês parou para a primeira troca dos médios para os duros à volta 11, enquanto Hamilton o fez três voltas depois.

PUB

“Max Verstappen e Lewis Hamilton tinham exatamente a mesma alocação de pneus antes da corrida, mas usaram-na de maneiras muito diferentes, com Hamilton a aproveitar ao máximo os seus pneus com menos voltas no final da corrida, e Verstappen a conseguir materializar os seus 'undercuts'. O resultado foi um duelo estratégico fantástico que levou a um final emocionante entre dois pilotos que se encontram no auge do seu jogo."

A segunda paragem realizada por Verstappen antes de Hamilton (oito voltas) voltou nesta análise a ser decisiva, mas também chave para o intenso final de prova a que se assistiu, com o britânico com pneus mais frescos na perseguição ao Red Bull. Com os pneus duros como referenciais para a maioria dos pilotos pelo seu menor grau de degradação, Verstappen conseguiu rodar 27 voltas na liderança até ao final contra as 19 de Hamilton, que ficou pelo segundo lugar com a volta mais rápida da corrida.

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

F1: Verstappen vence o GP dos EUA e dobra vantagem sobre Hamilton

F1: Ralf Schumacher diz que a Andretti já comprou a Sauber-Alfa Romeo

Código de roupa proibida no GP de F1 da Arábia Saudita gera polémica

Fórmula 1 anuncia calendário para 2022 sem passagem por Portugal

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS